Flaviana Borges

Idade: 22 anos
Localidade: Ovar
Divide a vida entre Ovar e Lisboa. Em Ovar vive com os pais. A Mãe chama-se Maria do Carmo e o Pai chama-se Augusto. Tem um irmão, Miguel Borges, 5 anos mais velho, que vive no Algarve. A mãe gosta muito de cantar e toca violino. O pai é o fã número 1. Chora sempre que a ouve na rádio e a cantar. Fala com muito carinho dos pais. A morte da avó foi o pior momento da sua vida. Viveu consigo desde pequena, dormiam no mesmo quarto. Agora, não consegue mais entrar no quarto. Tem muitas histórias com a avó e tem a certeza que ela vai estar a ouvi-la na sua atuação no palco do ATN. Estudou teatro nas Caldas da Rainha e atualmente é atriz e diretora de cena. Escolhe esta área muito por influência do irmão, que já estudava música, decidindo seguir o seu rumo. Estudou música até ao 9º ano e no 10º ano decidiu ir para teatro, numa escola de artes. Foi um pouco difícil para a família aceitar, porque a mãe é professora e achava que devia seguir um caminho «normal» e ir para as ciências, ou para os números. Depois foi para a faculdade com 6 anos de curso. Quando acabou a faculdade, candidatou-se a uma vaga para locutora na Cidade FM onde ficou 6 meses. Foi uma das melhores fases da sua vida. A seguir fez outro estágio, remunerado, como assistente de direção na fundação Calouste Gulbenkian, que a ajudou a manter-se em lisboa. Neste momento anda à procura de trabalho. Não está a ser fácil, mas não quer desistir. Quer muito ser atriz. Nunca teve aulas de música, pois sente que já nasceu consigo. No entanto, para ser atriz teve de estudar. O namorado, que conheceu na universidade, também é músico. É pianista do Fernando Daniel. O que mais quer na vida é ser ouvida e reconhecida. O seu maior sonho era ter as suas músicas a passar na rádio e dar concertos seus. Outro sonho era conciliar a sua vida de cantora com a de atriz. Decidiu participar no programa porque viu o story da Cristina e sentiu que tinha de participar, de tentar a sua sorte desta vez. Acha o conceito do programa completamente inovador. Contudo, tem muito medo de falhar, por isso pensou muito, mas acha que tinha mesmo de arriscar. Outro objetivo era numa segunda ou terceira edição do programa, estar ali sentada a carregar no botão e a avaliar os candidatos. “Ser cantora e poder fazer disso a minha carreira profissional. Queria tanto!”
VÍDEOS
FOTOS