Salvador Lopes

Idade: 17 anos
Localidade: Guimarães
Vive com o pai, Fernando, e o irmão, Henrique, de 21 anos. É estudante e está no 12º ano no curso de Línguas e Humanidades. O seu próximo objetivo é tirar um curso em Cinema. Canta desde sempre e já atuou em público em concursos da escola (Escola Secundária Martins Sarmento). No ano passado ia participar novamente, mas com a covid o espetáculo foi cancelado. Ficou triste porque «Ia ganhar! Já tinha um show todo montado» – ia fazer um tributo ligado à história do cinema com dança, canto, e representação – ia fazer TUDO. Diz ser uma verdadeira diva. Os amigos até brincam com ele, dizem que é a diva da Broadway de Guimarães. As pessoas mais importantes da sua vida são os seus melhores amigos: Iago, Fernando, Teresa e Marta. Com eles é 100 % ele próprio. Aquilo que mais gosta de fazer é entrar num Palco e fazer «a sua cena». Está super feliz por estar no «All Together Now», muito nervoso, mas vai dar o seu melhor. O seu maior sonho é ser realizador/ator ou entrar num musical da Broadway. Por ter este lado artístico muito vincado, conta que nos trabalhos da escola recusa-se a fazer PowerPoints «boring» – faz vídeos, apresentações criativas, nunca nada é igual. Apesar de dizer que agora está na sua melhor fase, nem sempre foi assim. O Salvador tem muitos problemas com a família. Aos 5 anos, os pais separaram-se e diz que se sentia o «farrapo» da família. Os pais não se davam bem, passou por momentos dolorosos que não quis revelar (emocionou-se a referir isto). Devido a estes problemas, não tem qualquer ligação com mãe. Algo que o deixa triste, mas que sente que estar separado dela é o melhor, a mãe não lhe fazia bem. Conta que toda a vida sentiu que a mãe não o aceita como ele é. Que não é perfeito, mas que tem valor e que a mãe e a família nunca o apoiaram. Devido a estes problemas passou por uma depressão. Tinha 100 kg e perdeu 35 kg, mudou completamente, é uma pessoa nova depois disso. Com a perda de peso ganhou autoestima, deixou crescer o cabelo (um toque de diva) e sente-se bem agora. Mesmo não tendo ligação com a mãe, a sua melhor recordação de infância está ligada a ela: recorda a memória feliz de assistir ao seu filme favorito «Ratatouille» na cama com ela. Gosta deste filme porque o fazia sonhar e acreditar que poderia alcançar o seu sonho apesar de quem era/da sua aparência – emocionado conta que a mensagem do filme é muito linda «não importa o teu aspeto, não importa o que querem que sejas, tens de ser tu com o teu valor». Até tem uma tatuagem desse filme. Apesar de viver com o pai, conta que tem uma relação instalável com o ele, mas que pelo menos ele apoia-o e não tenta mudá-lo. Estar no «All Together Now» é bom para ele e para mostrar à família que é capaz de ser bem-sucedido a ser ele mesmo, com todas as extravagâncias, exageros e imperfeições. Quer também deixar uma mensagem a todas as pessoas que passam pelo mesmo que ele de não serem aceites: passou por uma fase muito difícil, “passou pelos diabos”, mas agora está aqui firme. Nunca devemos desistir dos nossos sonhos e de se ser quem é.
VÍDEOS
FOTOS