Uma vida marcada pelo sofrimento

Júlia tem 59 anos e uma vida de desamor.

Nunca se sentiu uma filha desejada, foi violada e obrigada a casar com o agressor.

Teve mais dois relacionamentos, dos quais nasceram dois filhos. Um deles tem paralisia cerebral, e outra tem uma doença rara, síndrome de Kabuki.

O percurso de vida desta mãe está ainda marcado por duas tentativas de suicídio.

Apesar de todas as tragédias, Júlia continua a ter esperança de um dia ser feliz.