As vítimas do assassino Pedro Dias

Pedro Dias foi o homem mais procurado de Portugal em outubro de 2016.

O assassino de Aguiar da Beira ficou conhecido quando elaborou a fuga mais mediática à polícia que durou 28 dias.

Acusado de dois crimes de homicídio qualificado, três de homicídio qualificado na forma tentada, três de sequestro e um de roubo, Pedro Dias começou a ser julgado a 3 de Novembro de 2017, um ano depois de ter cometido os crimes.

Em Março de 2018, foi condenado à pena máxima prevista pela Lei portuguesa: 25 anos de prisão em cúmulo jurídico, pelos crimes de Aguiar da Beira.

António Ferreira, GNR, foi vítima e testemunha de alguns dos crimes do assassino e acabou por sobreviver. Já Liliane e Luís Pinto, casados há seis anos, não tiveram a mesma sorte.

Luís foi baleado à frente da mulher. Depois, Pedro Dias obrigou Liliane a arrastar o cadáver do companheiro para a berma da estrada e disparou contra ela. Luís foi levado para o hospital já sem vida e a mulher foi assistida, sujeita a diversas intervenções cirúrgicas.

Em coma, Liliane lutou contra a morte durante meio ano, acabando por falecer, em abril de 2017.