Bulimia e anorexia: Mariana chegou a pesar 40 quilos

Viver em guerra com a comida.

Por volta dos 20 anos, Mariana começa a cortar em alguns alimentos mais calóricos, com a finalidade de perder peso.

Aos 21 anos dá-se um episódio traumático: a morte de um primo, de 22 anos, que era portador de paralisia cerebral. Mariana identifica esta perda como tendo sido o primeiro, de muitos episódios de compulsão alimentar.

Ao mesmo tempo que iniciou um processo de compulsão alimentar, Mariana tentou contrabalançar com uma imposição, por autorrecriação, de restrição alimentar. Gradualmente foi impondo a si própria o corte de alguns alimentos mais calóricos. Essa exigência chegou ao ponto de só ingerir líquidos, sopas e iogurtes. Além disso, complementava com o exercício físico no ginásio. Primeiro praticava 3 vezes por semana mas, mais tarde, para compensar as compulsões alimentares, começou a ir todos os dias, 3 horas por dia.

Nos momentos de impulsos surgia um sentimento de culpa, seguindo-se a certeza de que tinha de emendar o ‘erro’. Só que a cabeça não aguentou, e começou a dar sinais de depressão.

A partir dos 23 anos, Mariana começou a vomitar, cada vez que tinha o impulso de comer doces sem controlo.

Há 4 anos, em 2015, Mariana assumiu que precisava de ajuda médica. O grande alívio aconteceu desde que iniciou os tratamentos com a equipa do Hospital Santa Maria. No entanto, apesar de ter assumido aos pais e irmãos que sofria de bulimia e anorexia, sente que ainda hoje é um assunto tabu.