13 nov 2019 17:59

Marlon fintou o próprio destino

Um exemplo perfeito de sobrevivência.

Marlon Queiroz nasceu há 39 anos num dos municípios mais precários e violentos dos subúrbios do Rio de Janeiro, no Brasil.

Com uma infância marcada pela fome e pela falta de instrução, arregaçou as mangas e conseguiu fugir a um destino anunciado. Com apenas 9 anos fez pão e depois vendeu bombons e, mais tarde, lixívia e desinfetante caseiro em favelas, tudo para fugir à miséria.

Aos 19 anos, e já depois de ser pai, veio sozinho para Portugal carregado de sonhos e esperanças. O início não foi fácil, mas Marlon conseguiu vingar.

Tornou-se um empresário de sucesso, mais um a quem a crise em Portugal levaria quase tudo.

Obrigado a começar outra vez do zero, Marlon socorreu-se do jiu-jitsu, arte marcial que já pratica há muitos anos, e foi dar aulas para o Reino Unido e, depois, para os Emirados Árabes Unidos.

Regressou a Portugal em 2017 e, desde então, tem apostado na sua veia de escritor. Em 2011, escreveu o polémico «Máfias da Noite», baseado na sua experiência enquanto segurança e, há poucos meses, lançou o «O Último da Fila», uma biografia romanceada, onde mistura partes da sua história de vida com a de outros amigos da sua infância e adolescência.

Este é o testemunho de um menino negro, pobre e nascido numa favela, que tinha tudo para dar errado mas que conseguiu contrariar as estatísticas.