14 fev 2020 20:03

Saiba tudo sobre o desaparecimento de Brownie e o que fazer nestas situações

A filha de Fátima Lopes contou tudo.

Foi no dia 31 de dezembro que Brownie, o cão da Beatriz Lopes, filha da nossa apresentadora Fátima Lopes, desapareceu sem dar sinais de regresso.

A busca incessante realizou-se até ao seu aparecimento, no dia 2 de janeiro de manhã, quando surgiu bastante magoado numa pata.

A angústia de perder um animal é muito maior do que se pensa e partilhada por mais pessoas do que se imagina.

O que fazer quando um animal desaparece? Como prevenir estas situações? Como proceder quando o animal aparece lesionado?

Para responder a estas dúvidas, recebemos a Dra. Cláudia Tavares, veterinária do Brownie.

Prevenir que a fuga de um animal:

• Legalmente, não é permitido os animais andarem sem trela. Libertá-los apenas em sítios condicionados e de confiança;
• É importante aumentar o elo entre o animal e o dono. Quanto mais treino o animal tiver, melhor;
• Nos passeios, levar sempre biscoitos para alguma situação;
• Prevenir cadelas com o cio de andarem soltas ou muito próximas de outros cães.

Diminuir os riscos e consequências de uma fuga:

• Para além da vacina da raiva, que é obrigatória, é altamente aconselhada a vacina múltipla (esgana, parvovirose, hepatite canina, leptoespirose);
• Um seguro veterinário pode ser muito útil para qualquer situação, nunca se sabe o que vai acontecer;
• Os cães são obrigados a ter chip desde 2008 (a colocação é bastante simples e faz-se em qualquer veterinário). Desde outubro de 2019, que os gatos também devem ter chip.

Perigos incontroláveis a que os animais que fogem estão expostos:

• Largarta do Pinheiro – de janeiro a maio, este bicho processionário, que anda em carreirinha, usa os pinheiros para fazer ninhos. São lagartas cheias de espinhos a que os cães são altamente alérgicos. É importante ter atenção às reações dos animais porque muitas vezes é tarde demais. O animal começa a esfregar-se ou a ficar com a língua inchada e negra. A boca incha e pode começar a babar-se. Não existe uma vacina ou um antídoto específico. Assim que se aperceberem, os donos devem ir imediatamente ao veterinário, onde o animal recebe soro, uma alta cobertura antibiótica rápida, anti-inflamatórios e analgésicos.
• Veneno para Ratos – por norma, o segredo é agir por prevenção. O veneno não dá sintomas e quando se descobre já é tarde demais, pelo que alguns veterinários optam por fazer medicação preventiva.
• Ratoeiras – um animal que foge pode encontrar todo o tipo de ratoeiras para as quais não estava destinado. Desde a lesionar-se por ‘cair na ratoeira’ até ficar preso na mesma por dias a fio, as ratoeiras são muito preocupantes no caso de fuga. Aqui, importa também dizer que apanhar tétano é uma possibilidade, apesar de não existir uma vacina animal para este problema. O tratamento faz-se de outra forma.