29 out 2019 18:35

Dor no sexo: causas e tratamentos

Chegou a hora de combater os tabus e, por isso mesmo, vamos esclarecer as principais dúvidas acerca deste tema, com a ajuda da especialista Laira Ramos. 

Dor nunca é um bom sintoma, e quando está ligada a uma atividade que deveria ser prazerosa, torna-se uma condição ainda mais desagradável. Dispareunia é o nome dado ao transtorno, de causas físicas ou psicológicas, caracterizado pela dor genital durante ou após o sexo.

Quanto ao foco da dor, as mulheres apontam diferentes locais ou situações, tais como:

- parte externa da vagina, especialmente na vulva;
- durante a penetração, incluindo o mal-estar com introdução de absorventes internos ou vibradores;
- no fundo da vagina, mais próximo ao útero;
- após o sexo, podendo perdurar por horas.


Além do início da vida sexual, a dispareunia é mais frequente em mulheres que estejam na fase de pós-menopausa ou naquelas que foram submetidas a um parto com episiotomia.
Isso porque as mulheres mais velhas, nessa fase da vida, passam por um declínio hormonal, principalmente do estrogénio, responsável pela lubrificação íntima. Além disso, com o tempo, a vagina acaba perdendo a elasticidade, o que também pode causar as dores durante as relações.

Causas possíveis:

- Contração dos músculos do períneo
- Falta de lubricação vaginal
- Endometriose
- Pós-parto

Possíveis tratamentos para a dor:

Dependendo da causa, o tratamento específico será recomendado. Pode envolver fisioterapia pélvica, terapia hormonal, uso de pomadas lubrificantes ou cirurgias, de acordo com o quadro clínico diagnosticado.

Em casos de dispareunia situacional, uma simples adaptação resolve o problema. Posições desagradáveis devem ser evitadas e, com o diálogo, o casal descobre o ritmo que beneficia ambos. O autoconhecimento do corpo e das circunstâncias, promovendo relaxamento e lubrificação, também são essenciais.

Podemos, então, concluir que as soluções são variadas e que se adequam às diferentes necessidades de tratamento. O maior erro em relação à dispareunia é tentar ignorá-la. Nenhuma mulher deve “acostumar-se” à dor ou guardá-la para si. Percebendo qualquer incómodo, expresse-o ao seu parceiro.

Algumas recomendações:

- Use lubrificantes que facilitem as relações sexuais;
- Opte por posições sexuais que sejam mais prazerosas e que não forcem tanto;
- Dê importância aos jogos preliminares para alcançar um estado ideal de excitação e lubrificação;
- Cuide dos seus músculos vaginais e do seu assoalho pélvico e faça exercícios de pompoarismo (contração e relaxamento dos músculos circunvaginais).