13 dez 2018 17:53

Quando um ovo pode matar

João sofre de uma alergia severa ao ovo. Basta um simples contacto para o pôr em risco de vida

Sofia Luz é médica especializada em imunoalergologia e também é mãe do João que é alérgico a ovo.

Esta mãe descobriu o problema do filho quando ele tinha apenas seis meses de idade: «tinha estado a fazer uma omolete na cozinha e assim que toquei no João ele começou logo a inchar».

Foram feitas análises ao João e o diagnóstico foi definitivo: o menino não pode comer este alimento nem tocar em nada que tenha vestígios de ovo. Basta simplesmente o vapor do alimento ou algo mal lavado que João entra em choque anafilático.

Sofia teve de fazer algumas mudanças nas dinâmicas de família e mesmo depois de muitos avisos esta mãe chegou a apanhar graves sustos.

O ovo contém quatro proteínas diferentes, todas capazes de causar alergia e o João é alérgico a essas quatro proteínas contidas no alimento.

Marta Costa é mãe de outros dois meninos, também com alergias. Em prol desta causa, juntou-se a Sofia e ambas criaram uma conta na rede social Instagram, com o objetivo de informar e esclarecer outros pais que podem estar na mesma situação.

A doutora explica que «alergia» e «intolerãncia» não são a mesma coisa e apela para que as pessoas tenham noção dessa informação. A alergia ao ovo é a segunda maior causa de alergia alimentar a seguir ao leite de vaca.