31 jan 2018 12:14

O balanço de sete anos de «A Tarde é Sua»

Estávamos em janeiro de 2011. Estreava “A Tarde é Sua”, na TVI, conduzido por Fátima Lopes. Num Live Chat exclusivo para a página oficial de Facebook do programa, a apresentadora fez um balanço destes sete anos de emissões.

“Muita coisa mudou nestes últimos sete anos. Muitos espaços novos foram introduzidos, outros que deixaram de acontecer, mas, acima de tudo, temos tido a capacidade de renovar o programa e de corresponder à vontade das pessoas”, começa por dizer Fátima Lopes. A apresentadora, passados estes sete anos, garante ser a mesma pessoa, em termos de personalidade, embora se considere hoje uma profissional mais capaz. “Já fiz muita coisa nova nesta casa e isso tem sido muito bom”, acrescenta.

Para que de segunda a sexta-feira o programa vá para o ar, explica a apresentadora, há todo um trabalho de pesquisa e produção realizado por parte da sua equipa. “Quando eu recebo a pasta diária com a informação, já a minha equipa está a trabalhar há muito para que isso aconteça”, assegura. “A mim cabe-me saber bem as histórias, estar bem preparada. Não me cabe na cabeça entrevistar um convidado sem estar bem preparada. Acho que isso não é respeitar o convidado”, remata.

Por ser, sobretudo, um programa de histórias de vida, o “A Tarde é Sua” tem levado, por diversas vezes, Fátima Lopes a comover-se em direto. É sobretudo com histórias que envolvam crianças, ou pais que perderam os filhos, que a apresentadora sente maior dificuldade em distanciar-se do papel que desempenha do de uma cidadã comum, para conseguir dar continuidade ao programa. “Eu ainda não consegui inventar as palavras certas que consolem o coração de um pai ou de uma mãe que perderam um filho”, explica. “Eu tenho aprendido grandes lições de vida com os meus convidados”, acrescenta.

Relativamente à condução de outros programas em simultâneo – como foram os casos de “Pequenos Gigantes” e “Let’s Dance – Vamos Dançar” – Fátima Lopes revela que é necessária muita organização para conseguir entrar em antena muito bem preparada. Nessas alturas, adianta, todas as outras funções que assume, como a de escritora ou de formadora, ficam em stand by.

Apesar de admitir ter vontade de voltar a abraçar outros projetos na TVI, Fátima Lopes garante que programas que consistam em histórias de vida, contadas na primeira pessoa, são a sua "cara". "Eu gosto de ajudar a pessoa a tirar o melhor de si e a partilhar aquilo que tem dentro. Essa é a minha especialidade", remata.