Patrícia Teixeira Abreu sobre dislexia: «Eu achei que a minha filha não ia ser capaz de ler»

No «Dois às 10», conhecemos a história de Francisca Conde, uma criança disléxica.

Patrícia Teixeira Abre começou a aperceber-se que a filha Francisca tinha dificuldades a ler, no entanto achou normal. Francisca foi diagnosticada no início do segundo ano com dislexia: «Eu achei que a minha filha não ia ser capaz de ler», confessa Patrícia.

«Explicar a uma criança de 7 anos que chega a casa e vai ter que trabalhar, para além dos trabalhos de casa, é complicado», afirma Patrícia. Quando as crianças não são ajudadas e acompanhadas toda a envolvente pode ter um grande impacto nas suas auto-estimas, o que provocará o insucesso escolar.

«Nós pensamos que somos burros e ficamos tristes», afirma Francisca. A menina foi acompanhada e praticou bastante a sua leitura e escrita. Hoje em dia confessa: «Sinto-me bem, já não penso que sou diferente».

A pediatra Andreia Leitão acrescenta: «A dislexia é extremamente frequente». É importante desmistificar este problema pois não tem nada a ver com a inteligência da pessoa em questão.

RELACIONADOS

«A qualquer momento podia sofrer um descolamento da placenta»

Mário Rui: «Eles devolveram-me a vida»

Helena Coelho: A nova cara do Big Brother

«Se ela sorrir uma vez num dia para nós já é uma vitória»

«Estou a pagar para trabalhar»

Vera de Melo: «Tenho medo que se normalize a violência doméstica»

A Não Perder

MAIS

Mais Vistos

Mais Vistos Goucha

Receitas

Fotos

Vídeos