Perder um filho: «Não se vive mais, sobrevive-se»

No «Dois às 10», Carla e Pedro falam sobre a dor de perder um filho após uma dura batalha contra uma rara leucemia.

O bebé Martim com 33 meses partiu em maio deste ano, os pais, Carla Eleutério e Pedro Feliciano revelam como é viver com esta perda: «Não se vive mais, sobrevive-se».

Em 2019 Martim foi diagnosticado com uma leucemia rara, em que até ao momento não havia casos de sucesso nem cura, sendo que a única opção era o transplante de medula. A irmã do menino, Leonor, era compatível e realizaram o transplante. A pandemia Covid-19 atrasou bastante o processo, porém havia muita esperança.

PUB

Dois meses depois do transplante a doença voltou, «Eu vivi 22 meses para o meu filho, chegávamos a ir a Coimbra todos os dias», confessa Carla. Pedro é bombeiro e assume que se sentiu impotente: «A minha missão é salvar vidas, mas eu não consigo salvar o meu filho».

«Eu pedi a Nossa Senhora que o levasse, doía-me mais vê-lo sofrer do que ele partir em paz», confessa a mãe. Martim partiu em paz há quatro meses.

RELACIONADOS

Aprenda a poupar nas refeições com este truque infalível

Natércia sobre Alzheimer: «Este não é o meu marido, o meu marido não é esta pessoa»

Diogo Infante: «Sou um sobrevivente, aprendi a lutar na vida»

Delfina Azevedo sobre incêndio: «Fiquei só com a roupa que tinha no corpo»

Cláudio Ramos elogia Pedro Alves: «Tu tens muito bom coração»

Cláudio Ramos: «Não tem de transformar a vagina num pénis para se sentir um homem»

MAIS EXTRAS