Não gozavam comigo só por ser gordo, também era por ser exuberante»

O comentador veio ao «Dois às 10» falar da sua incrível transformação. Zé Lopes admite que os comentários maldosos na escola fizeram com que criasse defesas que se tornaram parte da sua personalidade.

No «Dois às 10», Maria Botelho Moniz recebe Zé Lopes para este partilhar a sua evolução dos últimos seis meses. O comentador começa por relembrar a infância onde foi várias vezes vítima de bullying, esclarecendo que o seu peso a mais não era o único motivo para ataques: «Não gozavam comigo só por ser gordo, também era por ser exuberante».

Maria Botelho Moniz, que afirma rever-se na história de Zé Lopes, pergunta se a boa disposição (que é a imagem de marca do repórter) era uma capa para esconder a tristeza. Sem vergonhas, Zé Lopes responde que nunca magoa ninguém, mas que ser extrovertido e ter sempre uma resposta pronta «foi uma defesa que se tornou em personalidade»: «Quando me apercebi que se eles atacassem e eu respondesse logo os fazia ficar desarmados, começou a ser a minha estratégia para tudo».

Zé Lopes fez uma cirurgia metabólica de porta única, um procedimento avançado através do umbigo que não deixa cicatrizes, mas esclarece que foi apenas uma «janela» para alcançar a qualidade de vida e saúde que tem hoje: «Foi um processo gradual, tenho que ter cuidado porque tenho uma tendência natural para engordar».

O comentador assume que nunca teve problemas com a imagem e que foi a preocupação com a saúde fez mudar. Hoje em dia vai ao ginásio, faz boas escolhas alimentares, sente-se mais confiante e mais saudável e, acima de tudo, sabe que vai manter estas escolhas para sempre.

RELACIONADOS

Maria Botelho Moniz defende Marie: «Cuidado da próxima vez que se esconderem por trás de um ecrã»

Bruna Gomes fala do propósito de vida de Bernardo

Vasco, de «Inspetor Max», conta como perdeu 60 kg sem exercício físico

O novo visual de Rute

A Não Perder

MAIS

Mais Vistos

Mais Vistos Goucha

Receitas

Fotos

Vídeos