Aida e Alice medem forças

  • 13 out, 00:00
Veja episódio na integra

Em «Festa é Festa», Tomé (Pedro Teixeira) tira duas imperiais e oferece uma a Mário (Pedro Giestas). Tomé senta-se na mesa de Mário e dá-lhe as boas vindas à Bela Vida. Tomé gaba-se de ter ali um império e pergunta a Mário quais são as suas intenções com a aldeia.

Aida e Alice confrontam-se e António tenta apaziguar os ânimos. António sugere que atendam Alice em conjunto, mas Aida ignora-o. Alice acusa Aida de não atender bem os clientes e Aida acha que Alice não está a começar bem ali na aldeia.

Peixoto (Vítor Emanuel) diz que o tempo passa a correr e não tarda as eleições estão à porta. Albino (Pedro Alves) dá a entender que o tempo passa rápido para quem tem boa vida. Peixoto diz que contra todas as expectativas há a possibilidade de Albino ganhar as eleições e este olha-o de lado.

Mário já contou a Tomé que está a pensar fazer um canal de televisão regional, mas que tem sido difícil comunicar com a Junta. Os olhos de Tomé até brilham e começa a destilar todo o seu veneno contra Albino. Mário afirma que são todos doidos e refere a miúda sardenta. Tomé passa-se. 

Aida e Alice continuam a medir forças. Alice diz que Aida devia tratar melhor os clientes. Aida afirma que Alice não percebe nada de negócios e que se não está contente pode ir a outra mercearia. António tenta acalmar os ânimos e quer atender Alice, mas ela, irritada, diz que já não quer nada e vai embora. António fica triste. 

Albino questiona Peixoto por ter dito que estava surpreendido por ele estar à frente nas sondagens. Peixoto fica atrapalhado, mas lá consegue dar a volta e afirma que estará sempre do lado de Albino, pois acha que ele é um visionário. Ficam todos contentes.  

Tomé avisa Mário que a sardenta é sua filha e que a culpa da Junta não funcionar, não é dela. Mário foca-se no facto da Junta estar a travar um projeto que iria beneficiar a aldeia. Tomé pergunta-lhe do que precisa e cede a sua salinha no café, para Mário poder trabalhar. 

Aida ainda está possessa com o desplante de Alice e avisa António para ter cuidado com ela, pois parece ser uma pessoa perigosa. António não concorda nada e tenta fazer ver a Aida que está a exagerar, mas Aida é de ideias fixas e António não ousa enfrentá-la. 

Tomé mostra a sua salinha a Mário, mas antes de o deixar entrar, faz uma breve apresentação do espaço e salienta que nunca ninguém ali entrou. Tomé diz que está disposto a alugar-lhe aquele espaço e assim não precisa da Junta para nada. 

Florinda (Ana Brito e Cunha) está de volta do jantar e Albino anda por ali de volta dela. Florinda diz-lhe que está a trabalhar e que agora não tem tempo para nhónhónhós. Albino protesta pelo que se passou em Paris, ter sido sol de pouca dura.

Corcovada está feliz por Ana Carolina (Ana Marta Contente) estar de volta. Ela diz que a aldeia a marcou profundamente e Corcovada acha que Carlos (Rodrigo Paganelli) foi o responsável. Ana Carolina afirma que voltou por Corcovada e começa a achar que nunca devia ter saído dali. 

Mário conversa com Alice sobre o seu projeto e está entusiasmado por ter conseguido um espaço para trabalhar. Alice espera que tenha mais sorte do que ela e conta-lhe as peripécias que teve no trabalho. Mário parece querer aproveitar-se daquelas histórias. Alice e Tomás ficam preocupados.

Estão todos a preparar-se para começar a jantar. Florinda diz que estão melhor ali dentro e Ana Carolina ressalva que o importante é estarem todos juntos.

Episódios

Mais Episódios