Porto entra no top dez das cidades mais procuradas no mundo para habitação de luxo

  • ECO - Parceiro CNN Portugal
  • 14 mai 2023, 12:31
Ana Petronilho
Porto entra no top dez das cidades mais procuradas no mundo para habitação de luxo - TVI
Novas moradias de luxo para venda

No ano passado, pela primeira vez, o Porto entrou para o top dez dos destinos residenciais de luxo mais procurados no mundo, à frente de cidades como Hamptons, Zurique ou Canes

A procura de habitação de luxo no país está, cada vez mais, a alastrar para fora de Lisboa. No ano passado, pela primeira vez, o Porto entrou para o top dez dos destinos residenciais de luxo mais procurados no mundo, à frente de cidades como Hamptons, Zurique ou Canes.

Em 2022, na Invicta o segmento de residencial de luxo cresceu 12,7% no que toca a valorização de preços. O que garantiu ao Porto a décima posição na tabela das 100 localizações-chave (incluindo cidades, destinos de sol e de esqui) que constam do mais recente Prime International Residential Index, que analisa o desempenho de preços nos 100 maiores mercados residenciais de luxo do mundo extraído, que faz parte do estudo The Wealth Report.

E neste top dez, o Algarve ocupa a sétima posição dos destinos mais procurados no mundo com uma valorização de preços na ordem dos 15,3%, onde existem propriedades de luxo disponíveis, por exemplo na Quinta do Lago, com um preço base de 3,5 milhões de euros. Valores que também resultam da quebra de 89% no número de novas habitações face a 2005, naquela região.

Lisboa ocupa o 40.º lugar da tabela (a mesma posição que em 2021) com uma valorização de 6% nos preços, equiparada a Florença, Madrid e Val dʼIsère, em França. A tabela é liderada pelo Dubai. (ver gráfico abaixo). 

Estas são apenas algumas das conclusões do estudo anual realizado pela consultora britânica Knight Frank que apresenta, em parceria com a Quintela + Penalva, as tendências e perspetivas do mercado residencial mundial.

Apesar do aumento das taxas de juro e da subida generalizada dos preços, o mercado residencial de luxo “está resiliente” e Portugal está, cada vez mais, no radar dos investidores e das famílias. Entre as 25 cidades analisadas pelo The Wealth Report, este ano, em média, os preços dos imóveis de luxo vão aumentar 2%, com o Dubai a liderar a subida, onde é esperado um aumento de 13,5%.

Em Lisboa, os valores de mercado na habitação de luxo vão continuar a subir este ano com o estudo a apontar para um aumento de 4%. Um aumento que é apenas ultrapassado pelo mercado residencial de luxo no Dubai e em Miami, onde se prevê uma subida de 5%. Aqui, a capital portuguesa está equiparada a cidades como Dublin, Madrid e Paris, e fica à frente do Mónaco (3%) e de Nova Iorque (2%).

Americanos entre os que mais investem em Portugal

O estudo aponta ainda que Portugal é o sétimo país europeu que mais atrai o investimento de famílias e de empresas na gama residencial de luxo, numa tabela que é liderada pela França e onde Espanha ocupa a segunda posição.

Mas entre os americanos, no ano passado, Portugal foi o destino europeu eleito para investir numa residência de luxo. Apesar de ainda não ocuparem a primeira posição de quem mais compra uma casa de luxo no país, estando esse lugar ocupado pelos britânicos, em 2022 os americanos entraram, pela primeira vez, para o top cinco desta tabela. “Portugal deixou de ser um mero local de residência de férias para passa a ser um dos destinos de localização mais populares para famílias que procuram uma mudança de estilo de vida”, diz Alex Koch de Gooreynd, sócio da Knight Frank e responsável pelos mercados português e suíço.

A procura de casas com valores entre os três e os sete milhões de euros vai continuar “resiliente” sobretudo entre os investidores que procuram destinos costeiros como Itália, França ou Portugal, que “oferecem um estilo de vida que a maioria das pessoas procura no pós-pandemia” e onde “os custos ainda são baixos”, lê-se no relatório.

E aqui o The Wealth Report destaca Portugal, frisando que o país tem assistido a “um enorme aumento” na procura de casas de luxo por parte de “jovens empresários milionários que trabalham em empresas americanas tecnológicas e que procuram destinos de surf”. Esta tem sido uma tendência que mostra, para já, “poucos sinais de abrandamento” e que já levou a “muitas empresas tecnológicas a abrir escritórios em Lisboa”, prevendo-se, por isso, que o número de jovens investidores do setor tecnológico continue a subir este ano e em 2024.

Lisboa é mais cara que Dubai

Com um milhão de dólares compra-se uma casa de luxo com 96 metros quadrados em Lisboa. Com o mesmo valor é possível comprar uma habitação de luxo maior, com uma área 105 metros quadrados, no Dubai, onde os preços mais cresceram em 2022, subindo 44,2%.

Também em Madrid se consegue comprar uma casa de luxo maior que em Lisboa, com uma área de 106 metros quadrados. Na Cidade do Cabo, com o mesmo valor, a casa terá 218 metros quadrados, revela ainda o The Wealth Report.

Mas é o Mónaco onde o metro quadrado é mais caro. Por cada milhão de dólares a casa de luxo não ultrapassa os 17 metros quadrados. Segue-se Hong Kong onde um milhão de dólares vale uma casa de luxo de 21 metros quadrados e em Saint Tropez será de 30 metros quadrados.

O estudo revela ainda que entre as 20 cidades analisadas, há oito anos Londres ocupava a segunda posição da tabela das cidades mais caras e em 2022 cai para o quinto lugar, onde um milhão de dólares compra uma casa de luxo com 34 metros quadrados, menos de metade da área de Lisboa.

Os dados do relatório The Wealth Report têm em conta dois inquéritos. Um deles é o HNW Pulse Survey, que questionou, em janeiro deste ano, 500 indivíduos de dez países com um património líquido acima de um milhão de dólares. O segundo inquérito, o The Attitudes Survey, que decorreu em novembro de 2022, teve em conta as respostas de mais de 500 banqueiros privados, consultores de património, intermediários e escritórios familiares que, entre eles, gerem mais de 2,5 mil milhões de dólares de património para clientes.