Com Manuel (Diogo Infante) em prisão domiciliária, depois da denúncia do pai de Tomás (Vítor D'Andrade), e com a casa sob escuta, este usa Maria João (Fernanda Serrano) para conseguir alcançar os seus maquiavélicos objetivos.

 

Através de um papel, Manuel pergunta a Maria João se está com ele ou contra ele. Maria João assente com a cabeça.

 

Já Tiago (Graciano Dias) confirma a João (João Catarré) que Manuel está com pulseira eletrónica e sob vigilância permanente. O ex-PJ diz que Maria João é impossível de controlar, sendo que João acha que ela se vai tornar no pombo-correio de Manuel.

 

E parece que João não estava enganando. Manuel pede a Maria João para entrar em contacto com Susana (Jani Zaho), para arranjar dois telemóveis para poderem falar. Esta acaba por acusar Susana de ter fugido, deixando Manuel ser preso, e se pode confiar nela. Susana diz que ela não tem outro remédio e avisa-a por causa da PJ.

 

Maria João, entretanto, acaba por ver o seu carro ser revista pela polícia. Mas, ainda assim, consegue entregar o telemóvel escondido a Manuel. Enquanto isso, Susana conta a Cátia (Anna Eremin) que Manuel a contactou através de Maria João. Adianta ainda que Manuel quer fazer aparecer o corpo de Tomás e incriminar João.