Sérgio Vasconcelos

Joaquim Horta

Sérgio é um autêntico business man, um milionário português que investe sobretudo na bolsa e no mercado imobiliário. Apesar de analítico, focado e obstinado nas suas decisões financeiras, possui também uma dimensão mais sensível, de apreciador de arte. Homem carismático, de temperamento peculiar, está sempre pronto a fazer um comentário cáustico quando alguma coisa lhe desagrada. É boa pessoa, altruísta, mas, quando é contrariado, o seu lado diva emerge. Sérgio pode ser muito bom, mas também impiedoso. Reconhece que nem todos têm a mesma sorte e, portanto, nunca hesita em ajudar quem precisa… mas sempre com uma máxima como bandeira: ao invés de dar o peixe, ensinar a pescar. Nascido em Lisboa, alfacinha de Gema, de São Sebastião da Pedreira, morou no estrangeiro nos últimos 15 anos. Saiu de Portugal com o seu grande amor – Vicente – depois de um grande golpe emocional. Vicente, detentor de uma grande fortuna, sempre quisera ser pai, e Sérgio também foi alimentando esse desejo. Mas a história que se iniciou com uma rapariga de aparente boa índole, que se ofereceu para carregar o bebé deles no útero, terminou com uma filha em paradeiro incerto e um casal de vigaristas a fugir com o dinheiro sem deixar rasto algum. Sérgio e Vicente fizeram de tudo para encontrar a bebé desaparecida, mas todos os seus esforços foram em vão. Esgotados e sem esperança, vão viver para São Francisco, nos Estados Unidos. A mudança funcionou como um renovar de energias que aproximou ainda mais o casal. Mas Vicente acaba por morrer, o que deixa Sérgio devastado. Não obstante, pouco depois, Sérgio conhece Enzo. O que na altura lhe serviu como consolo emocional… e sexual. O envolvimento foi evoluindo e Sérgio acabou por se tornar para Enzo o que Vicente foi para si: um mentor. Tanto Enzo como Sérgio vêm de classes médias. Sérgio passa a Enzo tudo o que aprendeu com Vicente: a sofisticação, o gosto pela arte, o estilo de vida dos privilegiados. Contra as expectativas, os dois já estão casados há alguns anos. Confiam um no outro e partilham tudo… Ou quase tudo. Sérgio continua a manter algo em segredo. Até hoje ele vive com a mágoa e a frustração de nunca ter visto Vicente realizar o sonho de ter a filha que tanto quis. Esse assunto é proibido, até mesmo para Enzo, que desconhece a existência da criança… pelo menos por enquanto… Agora de regresso a Portugal, Sérgio volta ao loft que já possuía e torna a viver perto da irmã Beatriz, a sua maior confidente. Os dois sempre foram muito cúmplices. Sérgio é um homem católico, com uma relação muito próxima à religião. Refinado na forma de vestir e de se apresentar. O seu estilo é clássico, porém há sempre um pormenor excêntrico: um anel, um cordão, uma écharpe, uns óculos… Com extremo bom gosto, é um profundo amante de ópera. Com um imaginário cultural extenso e profundo, a forma de olhar o mundo espelha-se na sua atitude. É impossível estar no mesmo ambiente que Sérgio e ser indiferente à sua presença.