Simone Nunes Aguiar

Bárbara Branco

Eu confesso que até gostei de vir para Lisboa. A minha melhor amiga, a Alice, já cá estava e assim voltámos a ficar juntas. Nós não escondemos nada uma da outra. Quando a faceta de detetive da Alice for atrás do paradeiro do pai do Edu, eu vou ajudá-la. Os amigos são para as ocasiões. O meu pai, sem que eu perceba, vai usar-me para conseguir informações privilegiadas. É claro que isso me vai causar problemas. Ficar entre um e outro não vai ser fácil. Há muita coisa que a Alice me pediu para ficar só entre nós. Como é que eu posso revelar esses segredos? Só de falar no assunto já fico nervosa… vamos mudar de tópico. Eu estou a acabar o curso de Estudos de Cultura. O meu sonho é um dia ter a minha editora de livros. Deve achar que eu fiquei em coma durante muitos anos e acordei agora, não é? Mas não. Eu sei perfeitamente que as pessoas estão a trocar os livros pelos telemóveis. A vida da Madame Bovary é menos interessante que a da Kim Kardashian. Por isso é que eu não suporto as redes sociais. Não tenho Instagram, não tenho Facebook… Até porque só há três razões para as pessoas se seguirem umas às outras: já são amigas, para se vigiarem, ou para trocarem fluidos. O meu tempo é precioso demais para saber o que as pessoas estão a jantar, a fazer no ginásio, nas férias… Ninguém é infeliz no universo online… Ao contrário da realidade, onde um passo em falso pode fazer-nos cair no abismo.