Colisão faz voar notas de €50 e provoca engarrafamento em autoestrada em Marbella - TVI

Colisão faz voar notas de €50 e provoca engarrafamento em autoestrada em Marbella

  • Agência Lusa
  • CE
  • 31 jan 2023, 00:56
Acidente faz voar notas de €50 em Marbella

Os condutores ao se aperceberem que estava a voar dinheiro, saíram dos carros e tentaram apanhá-lo

Centenas de notas de cinquenta euros voaram esta segunda-feira de um veículo que sofreu um pequeno acidente numa autoestrada em Marbella, no sul de Espanha, o que provocou um trânsito significativo com alguns condutores a tentarem recolher dinheiro.

O acidente ocorreu por volta das 11:00 (10:00 em Lisboa) de segunda-feira, num troço da autoestrada 7 (A7) no município de Marbella, na Andaluzia. O trânsito ficou caótico depois de um pequeno acidente, pois os restantes condutores aperceberam-se que estava literalmente a voar dinheiro.

“No início não sabíamos bem o que estava a acontecer. Mas conseguíamos ver carros parados e pessoas a saírem e a baixarem-se para pegarem em algo”, adiantaram testemunhas à agência de notícias Efe.

“Depois alguém comentou que o que estava no chão eram notas de cinquenta euros”, acrescentaram as testemunhas.

O carro envolvido no acidente tinha um total de 20.000 euros, que pertenciam a dois cidadãos de origem árabe que não precisaram de cuidados médicos e que transportavam o dinheiro numa mala, adiantaras as forças de segurança, que não conseguiram precisar a quantidade exata de notas que voaram.

Em poucos minutos, a situação causou um grande engarrafamento e no local estiveram bombeiros, Guarda Civil e o serviço de manutenção rodoviária da Direção-Geral de Trânsito (DGT).

Em Espanha, um cidadão pode transportar até 100.000 euros consigo e 10.000 euros na entrada e saída do país, tendo que ter uma declaração que justifique a sua origem para transportar uma quantidade superior, referiu a Efe.

Sem esta documentação, as autoridades podem penalizar o portador do dinheiro com multas ou, caso existam outros indícios, o portador pode ser detido e o dinheiro apreendido até que seja comprovada a sua proveniência.

Continue a ler esta notícia

EM DESTAQUE