Mais de duas horas em filas de espera e voos cancelados: ANA promete resolver constrangimentos no aeroporto de Faro - TVI

Mais de duas horas em filas de espera e voos cancelados: ANA promete resolver constrangimentos no aeroporto de Faro

  • Agência Lusa
  • BCE
  • 17 mar 2023, 17:54

A gestora aeroportuária adianta que foram mobilizadas equipas do aeroporto para prestar apoio aos passageiros e diminuir o desconforto causado pelos tempos de espera elevados, como o fornecimento de águas ou a assistência a passageiros com maiores dificuldades de locomoção

Relacionados

A ANA – Aeroportos de Portugal garantiu que está a trabalhar para reduzir os tempos de espera elevados e a acumulação de passageiros de fora da União Europeia no aeroporto de Faro, devido à greve na função pública.

A falta de elementos do Serviço de Estrangeiros e fronteiras (SEF) levou a esperas que superaram as duas horas e provocaram a perda de alguns voos a passageiros que pretendiam embarcar no aeroporto internacional Gago Coutinho, em Faro, sobretudo durante a manhã, mas “a situação está a melhorar” e tende a normalizar, assegurou a ANA à agência Lusa.

Os passageiros mais afetados foram os que tinham como proveniência e destino o Reino Unido, cuja saída da União Europeia obriga agora a proceder ao controlo documental nas partidas e nas chegadas, ao contrário do que acontece com os destinos que integram o espaço comunitário Schengen, esclareceu a empresa gestora aeroportuária portuguesa.

“Devido à greve da função pública, registaram-se hoje, no controlo de fronteira do Aeroporto Gago Coutinho, tempos de espera elevados, ultrapassando as duas horas no período da manhã. Esta situação causou, para além do incómodo para os passageiros atingidos, a perda de alguns voos. A situação está a melhorar, prevendo-se que assim continue”, informou a ANA.

A mesma fonte esclareceu que foram mobilizadas as equipas do aeroporto para prestar apoio aos passageiros e diminuir o desconforto causado pelos tempos de espera elevados, como o fornecimento de águas ou a assistência a passageiros com maiores dificuldades de locomoção.

“As equipas estão em contacto permanente com as autoridades competentes e companhias aéreas”, referiu ainda a empresa, salientando que esta situação foi exclusiva de Faro e não se registou em mais nenhum aeroporto nacional.

A greve nacional na função pública provocou hoje de manhã demoras no controlo de fronteira no aeroporto de Faro, que está a ser assegurado por serviços mínimos, disse à Lusa fonte do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

A fonte referiu que o controlo de fronteira no aeroporto está a funcionar com seis inspetores do SEF por turno em vez dos habituais nove e que o tempo de espera duplicou durante a manhã, altura em que chegaram mais voos do Reino Unido.

Segundo a mesma fonte, a greve não causou perturbações nos controlos de fronteira de outros aeroportos nem em outros serviços do SEF.

Continue a ler esta notícia

Relacionados