Porque é que tem de tirar o computador portátil da mala no raio-x do aeroporto? - TVI

Porque é que tem de tirar o computador portátil da mala no raio-x do aeroporto?

  • CNN
  • Doug Drury
  • 11 set 2023, 10:00
Computador portátil Getty Images

Quando se passa pela segurança num aeroporto é preciso tirar o laptop, ao contrário do que acontece com outros objetos. Há várias razões para isso acontecer.

Não saiu de casa tão cedo como devia. Na pressa louca de chegar à porta de embarque, o controlo de segurança parece atrasar tudo. E, para agravar a situação, é-lhe pedido que tire o computador portátil da mala: “Portáteis fora dos sacos, por favor”.

Mas o que é que o seu computador portátil tem a ver com a segurança?

O dia que mudou as viagens aéreas para sempre

A segurança nos aeroportos mudou drasticamente após os ataques terroristas nos EUA a 11 de setembro de 2001. Antes do 11 de setembro, era possível passar pela segurança com uma mala de mão cheia de tudo o que fosse necessário para as férias, incluindo uma faca com uma lâmina de 10 centímetros. Na verdade, foi assim que os atacantes do 11 de setembro levaram as suas armas para bordo.

Após o 11 de setembro, os processos de controlo em todo o mundo mudaram de um dia para o outro. Nos EUA, os seguranças privados contratados que recebiam um salário mínimo foram trocados por um programa federalizado com pessoal de segurança altamente treinado. Tudo o que pudesse ser considerado uma arma era confiscado.

Em todo o mundo, os viajantes foram subitamente obrigados a tirar os sapatos, os cintos e roupa exterior, bem como telemóveis, computadores portáteis, líquidos e tudo o que pudesse ser utilizado como parte de um dispositivo explosivo improvisado.

Esta situação manteve-se durante vários anos. Mais tarde, acabaram por ser desenvolvidos métodos de rastreio mais avançados para identificar eficazmente determinadas ameaças. Atualmente, alguns países não exigem que se descalce quando se passa pela segurança.

Então, porque é que ainda tem de tirar o computador portátil?

Os scanners dos aeroportos evoluíram muito

A máquina pela qual as suas malas e dispositivos passam é uma máquina de raios X.

A principal razão pela qual tem de retirar o seu computador portátil da mala é porque a bateria e outros componentes mecânicos são demasiado densos para os raios X penetrarem eficazmente - especialmente se o sistema do scanner for antigo. O mesmo se aplica aos cabos de alimentação e a outros dispositivos, como tablets e câmaras.

Com estes objetos na mala, os agentes de segurança não podem utilizar a imagem digitalizada do scanner para determinar se existe um risco. Terão de assinalar a mala para uma revista física, o que torna tudo mais lento. É mais fácil se todos os dispositivos forem retirados logo à partida.

Um computador portátil dentro de uma mala pode também ocultar outros objetos que possam ser perigosos. A sua leitura separada revela os seus componentes internos no ecrã. Em alguns casos, pode ser-lhe pedido que o ligue para provar que se trata de um computador em funcionamento.

Com a mais recente tecnologia de digitalização multi-view, os agentes de segurança podem ver o saco de vários ângulos para discernir se algo está a ser encoberto ou feito para parecer outra coisa. Por exemplo, já houve quem tentasse misturar partes de armas com outros componentes para tentar passar no rastreio de bagagem registada.

Alguns aeroportos atualizaram a digitalização 3D que permite aos viajantes passarem as suas malas pela segurança sem terem de retirar os seus computadores portáteis. Se não lhe for pedido que retire o seu computador portátil, é provavelmente porque está a ser utilizado um destes sistemas mais caros.

No entanto, o desenvolvimento da tecnologia não eliminará o atraso causado pelos controlos nos aeroportos. Em última análise, a razão pela qual estes são um grande ponto de estrangulamento deve-se à velocidade a que o pessoal analisa as imagens (que dita a velocidade do tapete rolante).

A menos que encontremos uma forma de automatizar todo o processo e de o executar com o mínimo de supervisão humana, é de esperar que haja atrasos.

E os scanners de corpos?

Mas as malas não são a única coisa verificada na segurança do aeroporto. Você também é!

A estrutura alta que atravessa é um detetor de metais. O seu objetivo é descobrir quaisquer armas ou outros objetos ilegais que possam estar escondidos debaixo das suas roupas. Os detetores de metais dos aeroportos utilizam radiação não ionizante, o que significa que não emitem raios X.

Os scanners corporais maiores, por outro lado, são um tipo de máquina de raios X. Estes podem ser ativos ou passivos, ou uma combinação de ambos.

Os scanners passivos detetam simplesmente a radiação natural emitida pelo seu corpo e por quaisquer objetos que possam estar escondidos. Os scanners ativos emitem radiação de baixa energia para criar uma imagem do seu corpo, que pode depois ser analisada.

O tipo de máquina que utiliza depende do local do mundo onde se encontra. Por exemplo, um tipo de scanner corporal ativo que emite raios X, a chamada "tecnologia de retrodifusão", já foi muito utilizado nos EUA, mas já não é utilizado. É também proibido na Austrália e na União Europeia, onde apenas pode ser utilizada tecnologia não ionizante.

Outro tipo de scanner emite ondas milimétricas de baixa energia, em vez de raios X, para obter imagens do passageiro. As frequências de ondas milimétricas são consideradas radiação não ionizante.

A IA nos nossos aeroportos

A Inteligência Artificial parece estar ultimamente à nossa volta, e os nossos aeroportos não são exceção. Os avanços nos sistemas de IA estão a transformar o futuro da segurança nos aeroportos.

Atualmente, os revisores humanos são obrigados a identificar potenciais ameaças em imagens digitalizadas. No entanto, e se uma IA avançada fosse treinada para o fazer utilizando uma base de dados de imagens? Fá-lo-ia numa fração de tempo.

Alguns aeroportos já estão a utilizar scanners avançados de tomografia computorizada para produzir imagens 3D de alta definição. No futuro, esta tecnologia poderá ser melhorada pela IA para detetar ameaças a um ritmo muito mais rápido.

Hipoteticamente, as tomografias computorizadas poderiam também ser utilizadas tanto para os seres humanos como para a sua bagagem. Poderá isto permitir que os viajantes passem por um scanner corporal enquanto carregam as suas malas? É possível.

Até lá, o melhor é tentar sair de casa a horas.

Continue a ler esta notícia