Os distritos do Porto, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Aveiro, Coimbra e Braga vão passar de aviso laranja para vermelho a partir das 21:00 de terça-feira devido à agitação marítima, anunciou esta segunda-feira o IPMA.

Estes sete distritos, que estão sob aviso laranja, vão passar a aviso vermelho, o mais grave de uma escala de três, a partir das 21:00 de terça-feira e até às 06:00 de quarta-feira devido à previsão de agitação marítima forte, prevendo-se ondas de noroeste com 6,5 a 7,5 metros de altura significativa, podendo atingir a altura máxima de 12 a 14 metros.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o aviso vermelho é emitido sempre que existe uma situação meteorológica de risco extremo.

Os distritos de Faro, Setúbal e Beja estão sob aviso amarelo por causa da agitação marítima forte até às 18:00 desta segunda-feira, passando depois a aviso laranja até às 00:00 de quinta-feira.

Conselhos da Marinha Portuguesa

Perante as previsões meteorológicas, a Marinha Portuguesa recomenda à comunidade piscatória e da náutica de recreio que se encontra no mar um eventual regresso ao porto de abrigo mais próximo e a adoção de medidas de precaução. Tal como, o reforço da amarração e vigilância das embarcações atracadas e fundeadas.

Para a população em geral, a Marinha pede que se evitem os passeios junto à orla costeira e nas praias, bem como a prática de atividades em zonas expostas à agitação marítima ou atingidas pela rebentação.

"Em especial, deve ser evitado o acesso e permanência junto às falésias e zonas de arriba, sendo essencial que se adote uma postura preventiva, não se expondo desnecessariamente ao risco", pode ler-se no comunicado da Marinha.

Marinha partilha gráfico que mostra as regiões do país que vão ser mais atingidas para agitação marítima.

Rajadas de 120km/hora em Castelo Branco e da Guarda

Sob aviso laranja estão ainda os distritos de Castelo Branco e da Guarda devido à previsão de vento de oeste com rajadas até aos 120 quilómetros por hora nas terras altas entre as 21:00 desta segunda-feira e as 06:00 de terça-feira.

O IPMA emitiu também aviso amarelo para os distritos de Bragança, Viseu, Porto, Faro, Vila Real, Setúbal, Viana do Castelo, Lisboa, Beja, Aveiro, Coimbra e Braga entre as 21:00 desta segunda-feira e as 03:00 de terça-feira por causa do vento forte, prevendo-se rajadas até 100 quilómetros por hora nas terras altas.

Os distritos de Braga, Coimbra, Aveiro, Castelo Branco, Viana do Castelo, Vila Real, Guarda, Porto, Viseu e Bragança também estão sob aviso amarelo por causa da queda de neve acima de 800/1.000 metros, descendo a quota a partir do final da tarde para os 500/700 metros entre as 06:00 de terça-feira e as 03:00 de quarta-feira.

O IPMA emitiu igualmente aviso amarelo para os distritos de Viseu, Porto, Vila Real, Viana do Castelo, Aveiro e Braga devido à previsão de chuva por vezes forte, em especial nas regiões montanhosas entre as 00:00 e as 03:00 de terça-feira.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Mínimas podem chegar aos -5 graus

Por causa do estado do tempo, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) pediu no sábado à população para que adote medidas preventivas para se defender da “descida significativa da temperatura”, acompanhada de precipitação no Minho e Douro Litoral e neve nas terras altas, a partir desta segunda e terça-feira.

A ANEPC alertou, num comunicado, que as previsões do IPMA apontam também para uma “intensificação do vento de quadrante leste”, que será “mais intenso nas terras altas”, para a “formação de gelo e geada, em especial no interior”, e para o aumento gradual da agitação marítima, também a partir desta segunda-feira.

A ANEPC referiu ainda que a precipitação, as baixas temperaturas e a intensidade do vento vão favorecer a formação de gelo e geada e causar um “desconforto térmico elevado”, enquanto a agitação marítima sofrerá um agravamento progressivo a partir desta segunda-feira.

A ANEPC alertou para os potenciais riscos deste quadro meteorológico, nomeadamente “intoxicações por inalação de gases, devido a inadequada ventilação em habitações onde se utilizem aquecimentos como lareiras e braseiras”, assim como para incêndios devido à “má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias em circuitos elétricos”.

O IPMA prevê uma descida da temperatura em Portugal continental, que pode atingir no meio da semana menos cinco graus no interior Norte e Centro.

Num comunicado publicado na sua página da internet, o organismo que faz a previsão meteorológica em Portugal explicou que esta descida de temperatura se deve à passagem de “superfícies frontais frias que atravessam o território de norte para sul, às quais estão associadas massas de ar polar, provenientes de noroeste”.

/ NM