Não gosta de água "normal" mas até aprecia com gás? Então beba - TVI

Não gosta de água "normal" mas até aprecia com gás? Então beba

  • CNN Portugal
  • JM
  • 1 jul 2023, 16:00
Água com gás. Pexels

Duas nutricionistas explicam à CNN Portugal que a água com gás não é toda igual, mas que é uma alternativa mais saudável a beber refrigerantes ou sumos

Relacionados

As águas com gás são a bebida de eleição para muitos que procuram uma alternativa mais saudável aos refrigerantes e sumos de fruta e, especialmente, para quem não gosta de beber água "normal". 

No cerne desta escolha pode estar também uma experiência sensorial diferente - desde o ruído satisfatório de abrir uma garrafa até à efervescência melodiosa que acompanha o ato de verter a água para o copo. Mas, segundo os especialistas ouvidos pela CNN Portugal, não se trata apenas de uma bebida substituta de outras mais açucaradas. Algumas águas com gás podem ser benéficas para a saúde, desde que as saiba escolher. 

Para a nutricionista Mariana Abecasis, é importante perceber que existem dois tipos de água com gás: gasocarbónicas e gaseificadas.

“As águas gasocarbónicas saem diretamente da nascente com gás natural e são ricas em sais minerais e oligoelementos”, descreve, explicando que as gaseificadas são “águas lisas” às quais é adicionado gás carbónico que causa uma sensação efervescente. Ou seja, esclarece, “enquanto as primeiras podem ser bebidas diretamente da nascente sem qualquer tratamento e têm propriedades benéficas para a saúde”, as segundas são obtidas através de um processo artificial, pelo que, para Mariana Abecasis, a água com gás é saudável desde que seja gasocarbónica.

Já a nutricionista Margarida Vieira considera que “a água com gás, independentemente da origem, é muito melhor opção do que outras bebidas como os refrigerantes". Isto porque, considera, trata-se da “passagem de um comportamento não adequado para um mais adequado à saúde". Assim, defende que, tendo em conta que “os refrigerantes são bebidas com elevado teor de calorias, aditivos artificiais e açúcares adicionados, a água gaseificada pode substituir o consumo dos mesmos”.

Mas há mais diferenças entre as águas com gás. Algumas podem conter sabores adicionados, adoçantes ou outros aditivos, por isso é essencial ler o rótulo e escolher aquele com o mínimo ou nenhum aditivo. 

Certo é que beber água "normal" ou com gás, garantem as duas nutricionistas, mantém o organismo hidratado o que é crucial para várias funções do corpo. Além disso, ajuda a inibir o apetite. “Beber muita água ao longo do dia ajuda a regular a sensação de saciedade e consequentemente há um maior controle da fome e da gula. Assim, é um auxiliar precioso na perda de peso”, sublinha Mariana Abecasis. Neste ponto, a água com gás pode ter um papel ainda mais marcante, uma vez que tendencialmente ainda dá uma maior sensação de saciedade, ou “mais cheio”, explica a nutricionista.

Outros benefícios da água com gás

A nível de hidratação é igualmente benéfico ingerir água natural ou água gasocarbónica. Para além dos conhecidos benefícios, como a melhoria da capacidade de digestão ou a redução da prisão de ventre, há estudos que indicam outras vantagens surpreendentes da água com gás.

Um estudo australiano sugere que o consumo diário de água com gás pode ajudar a prevenir a formação de pedra nos rins. Nesta investigação, a composição mineral da água da torneira em diferentes centros urbanos australianos apresenta uma variação considerável. Em média, a água gaseificada engarrafada contém níveis mais elevados de cálcio, bicarbonato e magnésio, o que a torna uma preferência potencial para os indivíduos que pretendem prevenir a formação de pedras nos rins. Por outro lado, pode aumentar o risco de incontinência ou de bexiga hiperativa nas mulheres com mais de 40 anos.

Outra vantagem da água gaseificada. segundo aponta uma investigação publicada na revista científica Nutrients, é a possível diminuição do risco cardiovascular em mulheres no pós-menopausa. Esta água regula a pressão arterial através do efeito alcalino e do fornecimento de magnésio e cálcio

Continue a ler esta notícia

Relacionados