Passageiro fica com o avião só para si depois de resistir a 18 horas de adiamentos - TVI

Passageiro fica com o avião só para si depois de resistir a 18 horas de adiamentos

  • CNN
  • Julia Buckley
  • 29 jun 2023, 11:18
Passageiro fica com o avião só para si. Reprodução redes sociais

E não foi por ser o único a bordo que não teve problemas com a bagagem

Relacionados

Se alguma vez pensou que ter um lugar vazio ao seu lado num voo é o derradeiro objetivo de viagem, experimente isto: um avião inteiro só para si.

Este era o cenário de sonho para Phil Stringer, que estava a voar de Oklahoma para a Carolina do Norte no domingo às 06:30 da manhã.

Ou, pelo menos, era esse o voo que ele tinha reservado. Mas quando o seu avião da American Airlines de Oklahoma City para Charlotte descolou, já era segunda-feira de manhã. Estava também, efetivamente, num jato privado.

Stringer - um agente imobiliário de Greensboro - viu o seu voo matinal ser adiado devido às tempestades que provocaram o cancelamento ou atraso de mais de 9.000 voos nos EUA durante o fim de semana.

À medida que o atraso aumentava - Stringer diz que a partida foi adiada nada menos do que sete vezes - outros passageiros que deveriam viajar remarcaram os seus voos ou desistiram completamente, mas ele continuou à espera.

Quando o avião finalmente descolou, passavam 12 minutos da meia-noite, ele era o único a embarcar.

Filmou tudo e publicou o vídeo nas redes sociais, mostrando a experiência.

"Sou a única pessoa no avião e eles têm uma equipa de voo inteira que não quer fazer este voo", riu-se para a câmara. "Tiraram-nos do hotel para virem fazer este voo só para uma pessoa."

Sem dormir

Filmou um funcionário a confirmar que só tinha carregado uma mala para o avião, outra na porta de embarque a rir, anunciando o embarque para filas de lugares vazios, e uma alegre demonstração de segurança pessoal por parte das assistentes de bordo, que não pareciam zangadas por terem sido chamadas para trabalhar à meia-noite.

O voo chegou às 03:35 e ele chegou a casa por volta das 07:00, tomou duche e foi trabalhar sem dormir, disse em entrevista à WSOC-TV, afiliada da CNN.

"Senti-me muito mal [pela equipa]", acrescentou. "Eles estavam no hotel, iam deitar-se. Eu pensei: 'Oh meu Deus, eles literalmente tiveram de vir aqui por mim'."

Talvez como penitência, brincaram com o facto de ele não ter direito a amendoins ou pretzels.

Mas Stringer diz que o grupo se divertiu imenso e mantiveram o contacto no dia seguinte.

No entanto, uma viagem num avião privado não impede outros problemas - e com a taxa de perda de malas a subir quase 75%, a maldição da bagagem atingiu-o. Stringer diz que a sua mala foi "extraviada" durante cerca de 45 minutos à chegada.

O novo sonho de viagem? Um avião pessoal e um localizador de malas.

Continue a ler esta notícia

Relacionados