O primeiro-ministro falou esta segunda-feira com o presidente do Brasil, Lula da Silva, a quem expressou solidariedade e reiterou a condenação dos atos violentos em Brasília, numa conversa em que começaram a preparar a cimeira bilateral de abril.

“Falei hoje com o Presidente Lula da Silva, a quem expressei a nossa solidariedade e reiterei a condenação dos atos violentos e antidemocráticos que ocorreram ontem [domingo] em Brasília”, escreveu António Costa na sua conta na rede social Twitter.

Na mesma mensagem, o líder do executivo português afirma que ele e o chefe de Estado brasileiro estão “focados e empenhados no relançamento da relação entre Portugal e o Brasil”.

“Começámos já a trabalhar na próxima Cimeira bilateral, em abril”, acrescentou.

Apoiantes do ex-presidente brasileiro Jair Bolsonaro invadiram e vandalizaram no domingo as sedes do Supremo Tribunal Federal, do Congresso e do Palácio do Planalto, em Brasília, obrigando à intervenção policial para repor a ordem e suscitando a condenação da comunidade internacional.

A Polícia Militar conseguiu recuperar o controlo das sedes dos três poderes, numa operação de que resultaram pelo menos 300 detidos.

A invasão começou depois de militantes da extrema-direita brasileira apoiantes do anterior presidente, derrotado por Lula da Silva nas eleições de outubro passado, terem convocado um protesto para a Esplanada dos Ministérios.

Entretanto, o juiz do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes afastou o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, por 90 dias, considerando que tanto o governador como o ex-secretário de Segurança e antigo ministro da Justiça de Bolsonaro Anderson Torres terão atuado com negligência e omissão.

/ RL