António Costa alerta que União Europeia está "debaixo de fogo populista" - TVI

António Costa alerta que União Europeia está "debaixo de fogo populista"

  • Agência Lusa
  • BCE
  • 2 mar, 11:06

O ex-secretário geral do PS diz que cabe aos socialistas e democratas "combater o populismo"

O primeiro-ministro demissionário, António Costa, defendeu este sábado que a União Europeia (UE) está “debaixo de fogo populista” e apelou a todos os socialistas para combaterem a extrema-direita “atacando as suas causas profundas”.

“A UE está hoje debaixo de fogo populista. A nossa principal tarefa, enquanto socialistas e democratas, é combater o populismo atacando as suas causas profundas”, disse António Costa, na abertura do congresso do Partido Socialista Europeu (PES), em Roma, Itália.

O ex-secretário-geral do PS acrescentou que a extrema-direita “é alimentada pelo medo” e apresentou como solução criar uma “Europa social, democrática e sustentável”.

“Devemos dar aos nossos cidadãos confiança e a certeza de que vamos construir a Europa que queremos. Vamos fazê-lo”, completou António Costa.

Sánchez adverte que alma da UE "está em risco" e pede combate à ameaça populista

O primeiro-ministro de Espanha advertiu este sábado que a “alma da Europa está em risco” e insistiu que o objetivo de todos os socialistas e democratas é derrotar a extrema-direita, garantindo que a História avança “na direção correta”.

“Todo o progresso que alcançámos está em risco, os direitos dos trabalhadores, da igualdade entre homens e mulheres, dos serviços públicos, da liberdade e respeito pela comunidade LGBTQIA+, uma transição justa e sustentável. A alma da própria Europa está em risco”, disse Pedro Sánchez, no arranque do congresso.

O secretário-geral do PSOE, que arrancou longos aplausos ao longo da sua intervenção, disse que todos os socialistas e democratas nos países da União Europeia (UE) têm como tarefa combater a extrema-direita, “derrotar essa ameaça e assegurar que a História continua a avançar na direção correta”.

“Vamos trabalhar para trazer inovação e futuro, onde outros só prometem nostalgia e um passado que nunca existiu. O tempo vai dar-nos razão, dá sempre”, completou.

Continue a ler esta notícia