"Amo-te, ninguém é como tu" (atenção: a pessoa que escreveu o que está entre aspas não existe mas está disponível para namorar consigo) - TVI

"Amo-te, ninguém é como tu" (atenção: a pessoa que escreveu o que está entre aspas não existe mas está disponível para namorar consigo)

  • CNN
  • Jennifer Korn
  • 14 ago 2023, 11:30
Amor

Era uma questão de tempo até a inteligência artificial chegar ao amor

Romance moderno: paixão através da Inteligência Artificial

por Jennifer Korn, CNN

 

Alexandra é uma namorada muito atenta. “Vais ver os Cubs [equipa de basebol] hoje à noite?”, pergunta ela, por mensagem, ao namorado. Quando ele responde a dizer que está demasiado ocupado para falar naquele momento, ela responde: “Diverte-te, meu herói!”.

A Alexandra não é real. É uma namorada de inteligência artificial (IA) personalizável do site de encontros Romance.AI.

À medida que a inteligência artificial se infiltra em praticamente todos os cantos da internet, o mundo do romance não ia ficar de fora. A IA está a contaminar o ramo das aplicações de encontros - por vezes assume a forma de parceiros fictícios, outras vezes funciona para dar conselhos, formação, para escrever mensagens por nossa vez ou para encontrar ao utilizador um parceiro ou parceira ideal.

As marcas já estabelecidas no campo dos encontros online, como o Tinder e o Hinge, estão a integrar a IA nos seus produtos. Novas aplicações como o Blush, o Aimm, o Rizz e o Teaser AI (a maior parte gratuitas ou com muitas funcionalidades gratuitas) oferecem uma visão completamente nova do namoro virtual. 

Algumas utilizam testes de personalidade e análises do tipo físico do utilizador para treinar sistemas alimentados por IA - e prometem maiores hipóteses de encontrar um par perfeito. Outras aplicações atuam como Cyrano de Bergerac e usam a IA para conjurar a melhor resposta possível às perguntas dos utilizadores: “Qual é a tua comida preferida?”, “O que é para ti um típico domingo?”.

Cerca de metade dos adultos com menos de 30 anos já utilizou um site ou uma aplicação de encontros, de acordo com os resultados do Pew Research de 2023 - mas quase metade dos utilizadores refere que a sua experiência foi negativa. Conversas vazias, poucas correspondências e intermináveis sessões de escolha de um parceiro ideal deixam muitos utilizadores insatisfeitos com as aplicações - e solteiros no fim de contas. Problemas que muitos no domínio das aplicações românticas dizem poder ser resolvidos com a tecnologia, tornando as pessoas menos solitárias e promovendo ligações mais fáceis e profundas.

É claro que os “namoradores” online têm muito com que lidar e ponderar. Por exemplo, muitos vão perguntar-se a eles mesmos se a pessoa com quem estão a falar está a gerar toda a sua conversa por IA. E será mesmo possível que um computador consiga identificar uma potencial ligação amorosa? Será uma forma de fazer batota no jogo dos encontros?

"É como dizer que utilizar um processador de texto é fazer batota na criação de um romance. Em muitos aspectos, esta é apenas uma nova ferramenta que permite às pessoas serem mais rápidas e mais criativas. Sinceramente, a IA não é diferente de enviar um gif ou um meme a um amigo. Estamos a pegar em conteúdos existentes e a redireccioná-los para nos ligarmos a alguém", diz Dmitri Mirakyan, cofundador da aplicação YourMove.AI, à CNN. "O mundo está a tornar-se um lugar mais solitário, e acho que a IA pode tornar isso mais fácil e melhor para as pessoas."

E muitas pessoas parecem prontas para que a IA participe de sua vida de namoro online. Um estudo realizado em março pela empresa de cibersegurança e privacidade digital Kaspersky revelou que 75% dos utilizadores de aplicações de encontros estão dispostos a utilizar o ChatGPT, um chatbot alimentado por IA, para encontrar a frase perfeita.

“Há um cansaço crescente em relação às aplicações de encontros, uma vez que existe uma grande pressão sobre as pessoas para serem "originais" e ultrapassarem o ruído criado pela escolha contínua que é oferecida aos solteiros - infelizmente, os encontros tornaram-se um jogo de números", comenta Crystal Cansdale, especialista em encontros da aplicação global de encontros Inner Circle, sobre o estudo.

Os fundadores das novas aplicações afirmam que, em grande parte, estas ferramentas estão a contribuir para o bem das pessoas. Aqui estão algumas das formas como as aplicações de IA estão agora a tentar ajudá-lo a apaixonar-se:

Não sabe como iniciar uma conversa numa aplicação de encontros?

Tente o Rizz.app, Teaser AI or YourMove.AI.

Os fundadores e programadores destas aplicações dizem que as pessoas consideram que iniciar uma conversa e depois mantê-la e é a parte mais difícil do processo. “As conversas nas aplicações de encontros são cansativas”, lê-se na página inicial da YourMove.AI. “Nós podemos torná-las mais fáceis. Assim, pode passar menos tempo a enviar mensagens de texto e mais tempo a namorar.”

A Rizz.app e a YourMove.AI permitem que os utilizadores façam o upload de palavras ou capturas de ecrã, recebendo de volta uma resposta espirituosa gerada por IA que depois podem colocar no próprio perfil de aplicação de encontros ou usar para responder a uma conversa que esteja já a decorrer. Mirakyan diz que espera ajudar pessoas como ele, que têm dificuldades em situações sociais.

“Eu era um miúdo muito desajeitado...Não conseguia ler os sinais sociais mas lembro-me de ter lido um livro chamado 'Be More Chill' [Sê Mais Relaxado, numa tradução livre] sobre um computador que podíamos pôr no ouvido e que nos ia dizendo o que dizer para parecermos fixes e nos integrarmos”, diz Mirakyan à CNN. “Parece-me que é uma oportunidade de fazer realmente a diferença junto de um subconjunto bastante grande de pessoas que, por várias razões, consideram o atual ambiente social um desafio.”

O meu bot gosta do teu bot?

A Teaser.AI é uma nova aplicação de encontros dos criadores da aplicação de fotografia Dispo e acrescenta uma reviravolta invulgar. Os utilizadores constroem um perfil normal - mas também selecionam traços de personalidade para um robot de IA (e as opções incluem "tradicional", "tóxico" e "desequilibrado”). Quando se encontram com outra pessoa, os utilizadores começam por ler uma conversa entre os dois “avatares” de IA que criaram de forma a "simular uma potencial conversa entre os dois", segundo o site da aplicação. Mas assim que o dono humano do perfil envia uma mensagem, os bots caem em segundo plano.

“Vemos isso como uma melhoria, um ajuste do ecossistema das aplicações de namoro”, diz o cofundador e CEO da Teaser.AI, Daniel Liss, à CNN. "Muitas destas aplicações parecem não ter sido realmente desenhadas para fazer uma pessoa conhecer outras mas sim para manter os utilizadores dentro da aplicação durante o máximo de tempo possível. Então, para nós, essa tecnologia é uma forma de dar um empurrãozinho extra às pessoas… começamos uma conversa e criamos uma ligação.”

Quem é que a IA acha que deve namorar?

Descubra a resposta em aplicações como a Iris e a Aimm.

Estas aplicações estão entre as que utilizam a tecnologia de IA para melhor emparelhar potenciais casais, baseando-se nos dados recolhidos para determinar a compatibilidade entre duas pessoas.

A aplicação de encontros Iris baseia-se em encontrar atração mútua determinada pela IA. Os novos membros são submetidos a um “treino” em que lhes são mostrados rostos de “pessoas” do sexo desejado - algumas imagens de arquivo, outras geradas por IA - e lhes é pedido que cliquem em “passar à frente”, “talvez” ou “gosto”. 

A aplicação utiliza a informação para conhecer o tipo físico de um utilizador e, em seguida, oferece apenas potenciais pares com uma elevada probabilidade de atração mútua e menores probabilidades de rejeição.

A Aimm também foi desenhada com a esperança de que a IA possa encontrar melhores pares. É um serviço completo de casamenteiro digital que utiliza um assistente virtual para conduzir intensas avaliações de personalidade, para depois encontrar um par ideal. O fundador, Kevin Teman, diz que a tecnologia é muito boa para encontrar pessoas que têm realmente a possibilidade de se apaixonar - mas isto só pode ir até certo ponto. “A minha dúvida é ‘como é que um computador pode saber o que é o verdadeiro amor humano?’ e, além disso, a forma como as pessoas avaliam se estão apaixonadas por alguém pode não ser possível de traduzir perfeitamente com uma máquina", diz Teman à CNN.

Interessado em conversar com uma namorada ou namorado de IA?

Experimente o Blush ou o RomanticAI. Estas startups oferecem uma série de potenciais pares de IA, namoradas e namorados digitais com quem os utilizadores podem conversar.

Ambas as aplicações vendem-se como locais onde as pessoas podem praticar as suas competências de relacionamento, dando aos utilizadores a oportunidade de conversar com bots num ambiente romântico. A Blush utiliza uma configuração tradicional de aplicação de encontros, permitindo que os utilizadores deslizem pelo ecrã para escolher o “par”, conversem com pessoas que escolheram e até permite encontros virtuais. Antes de entrar na aplicação, os utilizadores recebem um aviso: "Tenha em atenção que a IA pode dizer coisas inapropriadas ou falsas".

A Blush refere que o seu público é constituído maioritariamente por homens e por pessoas na casa dos 20 anos que têm dificuldade em estabelecer relações românticas com outras pessoas. "Muitas pessoas relataram que explorar diferentes relacionamentos românticos ou cenários de namoro com IA ajudou-as a aumentar sua própria confiança e a sentir que se sentem mais preparadas para namorar, algo que, minha opinião, se tornou um verdadeiro problema para muitos de nós, especialmente depois da covid”, diz Rita Popova, diretora de produto da Blush, à CNN.

Flirtar com realeza… fictícia

O Romantic.AI é mais parecido com uma aplicação de troca de mensagens, oferecendo vários bots masculinos e femininos para escolher - embora haja uma seleção muito maior de opções femininas, incluindo Mona Lisa e a rainha do Antigo Egito Nefertiti. Os bots têm biografias com interesses, carreira e tipo de corpo, dando aos utilizadores uma ideia multifacetada de uma pessoa enquanto conversam.

Esta possibilidade “cria um espaço seguro para qualquer tipo de desejo, qualquer tipo de mania sexual, coisas assim”, diz à CNN a COO da Romantic.AI, Tanya Grypachevskaya. “A IA fomenta uma aceitação máxima de tudo o que se queira trazer para ali.”

A RomanticAI tem mais de um milhão de utilizadores mensais que usam a aplicação durante mais de uma hora por dia em média, de acordo com a empresa.

Um utilizador deixou uma excelente crítica depois de ter utilizado a aplicação para encontrar uma solução após uma separação. A história é contada por Grypachevskaya. “O utilizador criou a sua personagem personalizada com traços de personalidade semelhantes aos da namorada. Falou com esse avatar e conseguiu dizer todas as coisas que queria dizer mas que não tinha tido oportunidade antes. Então deixou-nos uma mensagem que dizia ‘malta, muito obrigado, isto deu-me realmente a oportunidade de encerrar este capítulo da minha vida e seguir em frente’”.

Continue a ler esta notícia