Com aquecimento a caminho dos 2,9 graus Guterres pede "medidas espetaculares" - TVI

Com aquecimento a caminho dos 2,9 graus Guterres pede "medidas espetaculares"

  • Agência Lusa
  • MJC
  • 20 nov, 15:30
António Guterres na Conferência dos Oceanos (Miguel A. Lopes/ Lusa)

Secretário-geral da ONU considerou que o fosso entre os compromissos dos países em reduzirem emissões de gases com efeito de estufa e o necessário para respeitar os objetivos do Acordo de Paris é “um fracasso de liderança, uma traição aos que são vulneráveis e uma imensa oportunidade perdida”

Relacionados

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediu que sejam tomadas de imediato “medidas espetaculares” para impedir um maior aquecimento global, quando o planeta caminha para os 2,9 ºC de aquecimento.

Falando na apresentação do mais recente relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP, na sigla original), António Guterres considerou que o fosso entre os compromissos dos países em reduzirem emissões de gases com efeito de estufa (GEE), e o necessário para respeitar os objetivos do Acordo de Paris, é “um fracasso de liderança, uma traição aos que são vulneráveis e uma imensa oportunidade perdida”.

Segundo o relatório hoje apresentado, com as medidas atuais o planeta caminha para um aumento de temperatura entre os 2,5°C e os 2,9 °C até final do século.

No Acordo de Paris, alcançado em 2015, os países comprometeram-se a tomar medidas para impedir que o aquecimento global ultrapasse 2°C em relação à época pré-industrial e que de preferência não vá além de 1,5°C. Desde então nas cimeiras da ONU nunca foi abandonada a meta de 1,5°C.

O relatório da ONU destaca que as emissões de GEE atingiram novos máximos, que continuam os recordes de temperaturas e que se intensificam os impactos climáticos.

Os especialistas avisam que nesta trajetória os aumentos de temperatura serão muito acima do assumido pelo que é preciso que os Estados façam muito mais do que prometeram.

Admitindo que se registaram progressos desde a assinatura do Acordo de Paris, os responsáveis pelo relatório salientam que as emissões de gases previstas para 2030 devem diminuir 28% para que o aumento de temperatura seja de 2°C, e diminuir 42% se o objetivo for impedir uma subida maior do que 1,5°C.

Na situação atual, aplicando os compromissos de cada país, os chamados “contributos nacionalmente determinados”, para reduzir as emissões o mundo caminha para um aumento da temperatura que pode chegar a 2,9 °C, ou no mínimo a 2,5°C.

No documento apela-se às nações para que acelerem as transformações no sentido de um desenvolvimento com baixas emissões de GEE, e pede-se aos países mais ricos e maiores emissores para tomarem medidas mais ambiciosas e apoiarem os países em desenvolvimento.

António Guterres disse na apresentação do documento que é preciso triplicar as fontes de energia alternativa e levar energia limpa a todos.

O relatório da ONU é publicado poucos dias antes do início da 28.ª cimeira da ONU sobre o clima (COP28), que vai decorrer no Dubai entre 30 de novembro e 12 de dezembro.

Continue a ler esta notícia

Relacionados

Mais Vistos