TAP: relatora lamenta que PSD e IL não tenham tido “postura construtiva” - TVI

TAP: relatora lamenta que PSD e IL não tenham tido “postura construtiva”

  • Agência Lusa
  • MJC
  • 13 jul 2023, 17:31
A relatora da comissão de inquérito à TAP e deputada do PS, Ana Paula Bernardo (Lusa/António Cotrim)

O PCP foi o partido que viu mais propostas acolhidas no relatório final da comissão, tendo conseguido 30, enquanto PS, Chega e BE viram seis alterações integradas cada u

Relacionados

A relatora da comissão de inquérito à TAP lamentou esta quinta-feira que PSD e IL não tenham tido a “postura construtiva” de PS, Chega, PCP e BE de apresentar propostas de alteração, contribuindo para tornar o documento mais completo.

No arranque da maratona de discussão e votação do relatório final da comissão parlamentar de inquérito à TAP, a relatora, a socialista Ana Paula Bernardo, fez a apresentação do documento, tendo explicado o motivo pelo qual acolheu cerca de 40% das propostas de alteração apresentadas por quatro partidos.

“Agradecer àqueles que quiserem contribuir para melhorar o relatório. Agradecer ao BE, ao PCP, ao Chega e ao PS. Foram contributos essenciais para um processo democrático”, referiu. Ana Paula Bernardo afirmou que “gostaria que todos os grupos parlamentares tivessem optado por idêntica postura”, ou seja “uma postura propositiva e construtiva”, com as 126 propostas de alteração, e não terem adotado uma ação pautada “por juízos de valor e de caráter”.

PSD e IL decidiram não apresentar propostas de alteração ao relatório e apenas deram conta das suas conclusões, não levando assim à votação estas suas sugestões. A relatora saudou o “esforço daqueles que analisaram o documento e procuraram fazer chegar as suas propostas de alteração”.

“A apreciação destas propostas, a decisão da sua inclusão, resultam da minha inteira responsabilidade, ao contrário do que afirmaram aqui e lá fora”, assegurou. Garantindo que analisou estas alterações “com a mesma seriedade” que sempre pautou o seu trabalho, Ana Paula Bernardo explicou que integrou no documento que hoje vai ser votado as que considerou importantes “para completar” as informações do documento. “Procurei, sem desvirtuar o meu entendimento, tornar o relatório mais completo com os contributos do partido que o entenderam fazer”, disse.

O PCP foi o partido que viu mais propostas acolhidas, total ou parcialmente, tendo conseguido 30, enquanto PS, Chega e BE viram seis alterações integradas cada um.

Continue a ler esta notícia

Relacionados