Mundiais de Atletismo: problemas na viagem da comitiva lusa «resolvidos» - TVI

Mundiais de Atletismo: problemas na viagem da comitiva lusa «resolvidos»

Mundiais de atletismo 2022, em Eugene, Oregon

Atletas portugueses que vão participar na competição em Budapeste ficaram retidos em Frankfurt, devido a um voo cancelado entre a cidade alemã e a capital da Hungria

Relacionados

A Federação Portuguesa de Atletismo (FPA) confirmou esta manhã que os problemas enfrentados pela seleção nacional que se desloca para os Mundiais de Atletismo em Budapeste2023 foram superados.

Em declarações à agência Lusa, o Diretor Técnico Nacional, José Santos, explicou que a situação foi inédita e inesperada, mas que está agora resolvida.

«À partida, estão resolvidos todos os problemas. Foi uma situação inédita e inesperada. Os atletas têm de ir primeiro. Por exemplo, eu, grande parte dos oficiais e só a atleta Liliana Cá, que não compete nos primeiros dias, é que vamos ficar para chegar amanhã [no sábado]», disse José Santos à agência Lusa.

Na última quinta-feira, uma comitiva composta por 29 elementos da seleção portuguesa ficou retida no aeroporto de Frankfurt, na Alemanha, devido ao cancelamento do voo para Budapeste. Esta situação causou atrasos na viagem de pelo menos 12 atletas.

«Eu digo aparentemente, porque tem sido um caos com esta situação que não estávamos à espera. A companhia aérea (Lufthansa) não tem facilitado, mesmo tratando-se de atletas. Nunca me tinha acontecido», admitiu o responsável técnico.

O primeiro atleta português a competir nos Mundiais de Budapeste2023 será o marchador João Vieira, nos 20 quilómetros marcha, no sábado, às 08h50 locais (07h50 em Lisboa). No mesmo dia, Francisco Belo, Tsanko Arnaudov, Marta Pen, Salomé Afonso, Isaac Nader, Tiago Luís Pereira e a estafeta mista de 4x400 metros também participarão nas provas.

José Santos referiu que, apesar da situação inesperada, os atletas já estão a caminho da capital húngara, após terem sido divididos em grupos e terem encontrado várias soluções para chegar a Budapeste, incluindo voos diretos desde Frankfurt e ligações com escalas em Viena e Amesterdão.

O cancelamento do voo entre Frankfurt e Budapeste ocorreu após a confirmação da ausência de Pedro Pablo Pichardo, campeão olímpico, mundial e europeu do triplo salto. Com as lesões que afastaram Pichardo e Patrícia Mamona, Portugal ficou sem os dois medalhados olímpicos, tendo agora uma equipa de 28 atletas em 21 provas nos Campeonatos do Mundo de Atletismo, com um histórico de 23 medalhas: sete de ouro, sete de prata e nove de bronze.

Continue a ler esta notícia

Relacionados