Este gorila bebé quase morreu antes de um tratador do jardim zoológico lhe pegar ao colo. Agora tem uma nova mãe adotiva - TVI

Este gorila bebé quase morreu antes de um tratador do jardim zoológico lhe pegar ao colo. Agora tem uma nova mãe adotiva

  • CNN
  • Hilary Whiteman
  • 25 ago 2023, 16:00
Este gorila bebé quase morreu antes de um tratador do jardim zoológico lhe pegar ao colo Chad Staples _ Mogo Wildlife Park

Diretor do Mogo Wildlife Park, Chad Staples, criou o bebé Kaius depois de os pais o terem rejeitado à nascença, em Nova Gales do Sul, na Austrália.

Brisbane, Austrália (CNN) - Em muitos aspectos, criar um gorila bebé é muito semelhante a criar recém-nascidos humanos, diz Chad Staples, pai de quatro filhos e diretor do Mogo Wildlife Park, um pequeno jardim zoológico privado na cidade com o mesmo nome, na costa sudeste da Austrália.

"As semelhanças são espantosas. Mesmo só de olhar para os olhos dele, é como quando olhamos para um recém-nascido e ele capta todo o universo a cada piscar de olhos", diz Staples à CNN sobre Kaius, o gorila bebé de olhos arregalados que criou desde o nascimento.

Nos primeiros meses, Kaius dormia no quarto de Staples, e o tratador alimentava-o regularmente com leite e mudava-lhe as fraldas - uma tarefa difícil para um primata muito mais forte do que um bebé humano e capaz de se agarrar com as mãos e os pés.

"Com um bebé, só temos de lidar com umas mãozinhas que podem ajudar, mas com um gorila, ele dificultava mesmo a tarefa", relembra. "Eu só me ria e pensava: 'Oh, meu Deus'."

À medida que foi crescendo, Kaius agarrava-se às costas do tratador enquanto passeavam pelo jardim zoológico.

Então, na sexta-feira, Staples observou com admiração - mas principalmente alívio - a forma como  Kaius, de 10 meses, partilhou um pequeno-almoço de batata-doce e tomate com G-Anne, uma gorila fêmea de 42 anos, não relacionada com ele, que por agora parece feliz em assumir deveres parentais na casa dos gorilas do jardim zoológico.

"Fico muito feliz ao ver os dois juntos agora", disse Staples. "Tem sido uma viagem e tanto".

Kaius agarra-se a Chad Staples enquanto passeiam pelo jardim zoológico. Chad Staples/Mogo Wildlife Park

Um novo bebé

Kaius nasceu no parque de vida selvagem em outubro passado, filho de pais que o foram pela primeira vez, a mãe Kipensi, de 10 anos, e o pai Kisane, de 17 anos, um gorila de costas prateadas que pesa cerca de 220 quilos.

Os gorilas recém-nascidos são normalmente mais pequenos do que os bebés humanos nascidos no termo e, com 2,2 quilogramas, Kaius parecia estar a sair-se bem - até que Kisane, um gigante comparado com o seu minúsculo recém-nascido, o tirou da mãe.

"Foi assustador, porque nos perguntávamos se ele ia fazer alguma coisa estúpida", disse Staples. "Na verdade, ele estava a segurar o bebé com muita delicadeza. Mas sabe, o Kaius tinha pouco mais de 2 quilos... por isso, a diferença de tamanho é enorme".

Durante 14 horas, os funcionários do jardim zoológico tentaram convencer Kisane a devolver o bebé - oferecendo-lhe comida que ele precisaria de duas mãos para agarrar e levando as fêmeas - Kipensi e a sua mãe, Kriba - para diferentes áreas da casa dos gorilas, para que ele as seguisse e colocasse o bebé no chão.

"Nunca saberemos realmente porquê, mas gosto de pensar que talvez o pai tenha tentado envolver-se porque viu que havia algo de errado com a mãe", disse Staples.

Kipensi não conseguiu passar a placenta, uma preocupação para os veterinários que se preocupavam com o risco de infeção, e não exigiu que o seu parceiro devolvesse o bebé, como Staples disse que, por natureza, seria de esperar que ela fizesse.

Por fim, Kisane pousou o bebé no chão e o pessoal do jardim zoológico apressou-se a ir buscá-lo. Nessa altura, o bebé já tinha fome, pelo que lhe deram um biberão e tentaram devolvê-lo à mãe e à avó no dia seguinte.

"Basicamente, aproximaram-se dele, olharam para ele e foram-se embora", disse Staples. "E depois começaram a passar por cima dele para ir buscar comida e estavam mais ou menos interessados, mas não como esperávamos."

O pessoal do jardim zoológico tencionava dar-lhe de comer e tentar de novo, mas quando Staples pegou nele, disse, "o seu comportamento mudou".

"Tinha perdido a cor, os olhos pareciam muito baços, e por isso levámo-lo a correr para o bloco veterinário e ele teve um colapso muito rápido".

Kaius foi diagnosticado com pneumonia séptica depois de os seus pais não terem cuidado dele.  Chad Staples/Mogo Wildlife Park

Uma luta para se manter vivo

Kaius, então com apenas um dia de idade, foi diagnosticado com pneumonia séptica.

"Ele teve provavelmente meia dúzia de acidentes em que foi basicamente reanimado e, sabe, injecções de adrenalina e todas essas coisas para pôr o seu pequeno corpo a funcionar novamente", disse Staples.

"Os veterinários estavam a falar de eutanásia. Os médicos estavam a falar que ele provavelmente não sobreviveria à noite."

Então Staples ficou acordado a noite toda com o pequeno gorila dormindo no seu peito.

"Foi o que lhe deu mais conforto e conseguiu controlar o ritmo cardíaco e a respiração, apenas o contacto pele a pele e sentir o batimento cardíaco como se fosse da sua mãe."

Kaius tinha apenas 2,2 kg à nascença, um tamanho médio para um gorila recém-nascido. Chad Staples/Mogo Wildlife Park

Depois, Kaius começou a melhorar - e a crescer.

As fraldas foram abandonadas quando eles começaram a sair mais à rua, depois veio o processo de apresentação de outros funcionários do jardim zoológico, para que Kaius não ficasse demasiado ligado ao seu principal cuidador.

Kaius mudou-se da casa de Staples - que fica no interior do jardim zoológico - para o recinto dos gorilas, num recinto vizinho de G-Anne, a sua nova mãe adotiva.

O objetivo era fazer com que os dois interagissem o suficiente para acabarem por partilhar o mesmo recinto. Mas a reinstalação de um gorila bebé implica um enorme risco.

O seu maior receio? "O gorila matá-lo-ia. Porque isso já aconteceu com gorilas e chimpanzés em todo o mundo", disse Staples.

O Mogo Wildlife Park situa-se numa pequena cidade com o mesmo nome na costa de Nova Gales do Sul, na Austrália. Hilary Whiteman/CNN

Dois dias depois, os receios diminuíram e G-Anne já se adaptou ao seu novo papel.

"Ela é uma rapariga linda e sempre deu sinais de que queria isto tanto quanto nós", conta. "Já não estou preocupado com isto. Quer dizer, está sempre no fundo da tua cabeça. Tipo, e se?... Mas não como antes."

Por enquanto, o casal vai passar algum tempo junto antes, até que Kaius esteja pronto para fazer sua estreia pública no jardim zoológico, que também abriga uma girafa, zebra, leões, tigres e lémures.

Staples diz que Kaius parece reconhecê-lo e espera que a ligação perdure.

"Quando estou perto, ele encosta a cara à minha e respira fundo, agarra-se com força, tenta beijar-me, todo este tipo de coisas bonitas", relata Staples.

"Espero mesmo que haja aqui um laço para a sua vida. Isso seria muito especial".

Continue a ler esta notícia