Celine desapareceu na floresta da Tasmânia. E tudo o que há para seguir é um sinal do telemóvel - TVI

Celine desapareceu na floresta da Tasmânia. E tudo o que há para seguir é um sinal do telemóvel

  • CNN Portugal
  • CNC
  • 29 jun 2023, 14:16
Celine Cremer (Tasmânia Police)

A polícia, apesar das condições meteorológicas difíceis, continua as buscas em terra e com o recurso a drones e helicópteros

Relacionados

As buscas continuam por uma turista belga desaparecida numa área remota na Tasmânia, Austrália, depois de o seu carro ter sido encontrado estacionado no parque de estacionamento de um trilho no noroeste do estado. A polícia afirma que as condições meteorológicas da região onde Celine Cremer, de 31 anos, desapareceu tornam difícil a sobrevivência da mesma, de acordo com a ABC Austrália.

Celine Cremer foi vista pela última vez em Waratah, perto de Cradle Mountain, no dia 17 de junho. A mulher estaria a viver na Austrália desde o início do ano e teria começado uma viagem de carro a solo no princípio do mês. Celine Cremer tinha um bilhete de ferry para dia 21 de junho com destino a Melbourne.

A última pista que há dela é do dia 20 de junho, quando o seu telemóvel emitiu o último sinal conhecido pela polícia.

Amelie, a irmã, garante que Celine comunicava regularmente com a família. No entanto, antes de partir para a viagem, avisou-os de que estaria fora de alcance durante uma parte do percurso.

"Ela disse-nos: 'não se preocupem, eu vou fazer caminhadas, vou visitar [sítios], talvez não tenha sinal no meu telemóvel, por isso não se preocupem'", contou Amelie à ABC Austrália.

Mas quando a família não teve notícias durante muito tempo depois da altura em que Celine Cremer já deveria ter embarcado no ferry, ficaram preocupados e entraram em contacto com as autoridades, no dia 26 de junho.

A mulher belga nunca chegou a apanhar o ferry e, depois de o alerta de desaparecimento ter sido dado às autoridades e o carro ter sido descoberto no parque de estacionamento de Waratah, uma equipa de buscas foi enviada para o trilho de Philosopher Falls, avança o The Guardian

"As buscas até agora incluíram equipas de busca em terra e drones e helicópteros da polícia, mas infelizmente não foram localizados mais sinais de Celine desde que o seu carro foi encontrado no parque de estacionamento de Philosopher Falls", disse a inspetora Anthea Maingay.

"Tudo indica que ela viajava sozinha, com a intenção de regressar ao continente depois de ter estado (na Tasmânia) seis meses. Não há nada que indique que mais alguém esteve envolvido nesta altura", adiantou ainda a inspetora ao Tasmanian Times.

A inspetora disse ainda que existiam indícios de que Celine Cremer não tinha experiência a caminhar em trilhos e que estava apenas preparada para um dia de caminhada na altura em que desapareceu, segundo o The Australian.

As equipas da polícia têm enfrentado mau tempo durante as buscas, tendo até nevado no local.

"As condições meteorológicas têm sido difíceis nos últimos dias, com temperaturas negativas, neve e chuva", disse a inspetora, segundo a ABC Austrália."Infelizmente, recebemos aconselhamento médico especializado que indica que as condições recentes não são passíveis de sobrevivência durante o período de tempo que se pensa que Celine esteve exposta na natureza".

Apesar das conclusões médicas, a polícia continua as buscas: “O esforço de busca continua, mas estamos a lidar com uma mata extremamente densa e espera-se que as condições meteorológicas difíceis se agravem nos próximos dias.”

O trilho de Philosopher Falls, em Waratah, foi encerrado ao público enquanto a polícia continua as buscas pela turista belga, com a assistência do SES Tasmânia, reporta a Tasmaninan Times.

Continue a ler esta notícia

Relacionados