Banco Central Europeu convoca reunião extraordinária para debater a turbulência na banca nos EUA - TVI

Banco Central Europeu convoca reunião extraordinária para debater a turbulência na banca nos EUA

  • Agência Lusa
  • BC
  • 17 mar 2023, 12:01
Banco Central Europeu (GettyImages)

Já no início da semana tinha havido uma reunião extraordinária devido à turbulência no setor bancário

Relacionados

O Banco Central Europeu (BCE) convocou para esta sexta-feira uma reunião extraordinária do conselho de supervisão para debater a turbulência no setor bancário dos Estados Unidos, foi anunciado.

"O conselho está reunido para trocar pontos de vista e informar os membros sobre os recentes desenvolvimentos no setor bancário", afirmou um porta-voz citado pela imprensa alemã.

Já no início da semana tinha havido uma reunião extraordinária devido à turbulência no setor bancário que agita as memórias de 2008 quando os problemas nos EUA levaram a uma crise financeira global.

Agora nos EUA, o banco regional First Republic entrou numa situação difícil porque os clientes levantaram uma grande parte dos seus depósitos, o que criou preocupação após o colapso do Sillicon Valley Bank em 10 de março e do Signature Bank em 12 de março.

Na Europa, o banco suíço Credit Suisse tem estado em dificuldades e recebeu uma injeção de capital de 50.000 milhões de francos suíços do Banco Central Suíço para ultrapassar dificuldades de liquidez.

O Credit Suisse é um dos 50 bancos considerados "sistemicamente importantes" para o sistema financeiro internacional.

Há receios de contágio e de uma crise de confiança que pode levar a levantamentos de depósitos, o que poderá arrastar outros bancos.

Nos mercados bolsistas europeus, as ações dos bancos têm vindo a negociar em níveis mais baixos desde o início da turbulência.

Apesar da situação crítica, o BCE manteve na quinta-feira o seu curso de subida das taxas de juro e aumentou-as em meio ponto percentual.

A presidente do BCE, Christine Lagarde, reconheceu que alguns membros do conselho de governadores tinham votado contra a decisão e teriam preferido esperar que a situação no setor bancário se desenvolvesse.

Continue a ler esta notícia

Relacionados