Benfica paga 5,75% ao ano pelas obrigações. Vale a pena investir? Dez perguntas e respostas - TVI

Benfica paga 5,75% ao ano pelas obrigações. Vale a pena investir? Dez perguntas e respostas

  • ECO - Parceiro CNN Portugal
  • Luís Leitão
  • 2 mai 2023, 09:46
Benfica

A SAD do clube da Luz prepara-se para pedir emprestado 40 milhões de euros aos pequenos investidores. Conheça todos os detalhes desta operação que inclui também uma oferta de troca

Relacionados

O clube da Luz prepara-se para pedir emprestado 40 milhões de euros aos pequenos investidores e o prazo da oferta de subscrição arranca já dia 2 de maio. Com uma taxa de cupão de 5,75% ao ano,  é a quarta taxa mais elevada entre as nove emissões obrigacionistas lançadas pelo clube desde 2004.

Quando será possível subscrever as novas obrigações da Benfica SAD?

O prazo da oferta de subscrição das obrigações “Benfica SAD 2023-2026” decorrerá durante dez dias, começando às 8h30 de 2 de maio e terminará às 15 horas de 12 de maio, de acordo com informação presente no prospeto da operação.

A quem se destina a oferta?

A novas obrigações que serão emitidas pela SAD do Sport Lisboa e Benfica destinam-se aos pequenos investidores, mas também a empresas residentes ou com estabelecimento em Portugal.

Quanto pagam as novas obrigações?

As obrigações “Benfica SAD 2023-2026” têm uma taxa de cupão de 5,75% ao ano, com os juros a serem pagos semestralmente a 17 de maio e 17 de novembro. É a quarta taxa mais elevada entre as nove emissões obrigacionistas que a Benfica SAD realizou desde 2004.

Há algum custo associado à compra das obrigações “Benfica SAD 2023-2026”?

Sim. A negociação destes títulos de dívida acarreta várias comissões bancárias, desde logo a comissão de custódia de títulos, normalmente cobrada trimestralmente, para guardar os títulos. Além disso, é necessário contar com comissões associadas à compra e venda das obrigações, ao pagamento dos cupões e à amortização de capital (caso a obrigação seja levada até à maturidade).

Por fim, e não menos relevante que estas comissões, é preciso ainda contabilizar a tributação aplicada sobre o investimento. Segundo a legislação em vigor, é aplicada uma taxa de 28% sobre a taxa de cupão e sobre as mais-valias geradas, caso se proceda à alienação da obrigação.

Qual é o montante mínimo de investimento?

Segundo o prospeto da operação, cada obrigação “Benfica SAD 2023-2026” tem um preço de 5 euros e cada ordem de subscrição deverá compreender pelo menos 500 títulos. Isto significa que o investimento mínimo será de 2.500 euros.

A partir desse montante até um valor máximo do total de obrigações emitidas pela Benfica SAD, os investidores podem subscrever múltiplos de uma obrigação. Além disso, caso a procura seja superior à oferta, a Benfica SAD revela que proceder-se-á ao rateio das ordens.

Tenho de manter as obrigações durante um determinado período de tempo?

Não. As obrigações “Benfica SAD 2023-2026” serão admitidas à negociação na Euronext Lisboa com o ISIN PTSLBNOM0007, podendo os seus titulares negociar os títulos livremente na praça financeira portuguesa até à sua data de reembolso, que acontece a 17 de maio de 2026.

Além da emissão de novas obrigações, a Benfica SAD tem mais alguma operação a decorrer?

Sim. A 26 de abril, a Sport Lisboa e Benfica – Futebol SAD (Benfica SAD) anunciou também uma oferta de troca sobre as obrigações “Benfica SAD 2020-2023” pelas novas obrigações.

Desta forma, os atuais titulares das obrigações “Benfica SAD 2020-2023” que pretendam trocá-las pelas novas obrigações só têm de transmitir essa vontade ao seu intermediário financeiro e, em contrapartida, a 17 de maio, quando ocorrer a liquidação da oferta de subscrição, receberão as obrigações “Benfica SAD 2023-2026” e os juros corridos desde 15 de janeiro de 2023, inclusive, no montante de 0,0678 euros por cada obrigação “Benfica SAD 2020-2023” (o correspondente à taxa de cupão de 4%), sujeito a impostos, comissões e outros encargos.

É seguro investir nas obrigações “Benfica SAD 2023-2026”?

As obrigações “Benfica 2023-2026” são títulos de dívida e, como todas as obrigações, tanto emitidas por Estados como por empresas, carregam uma série de riscos:

  • Risco de crédito e de perdas de imparidade que advém da incapacidade de uma ou mais partes da Benfica SAD cumprirem com as suas obrigações contratuais, como resultado de alguma situação associada à sua operação.
  • Risco de liquidez de o emitente, neste caso a Benfica SAD, não ter capacidade para cumprir com as suas obrigações com os obrigacionistas, quer seja no pagamento dos cupões nas datas previstas como no reembolso do principal da obrigação a 17 de maio de 2026.
  • Riscos relativos a processos judicias, arbitrais e administradores em que a Benfica SAD está envolvida, que poderão lesar a SAD em vários milhões de euros; e os riscos associados à operação da SAD benfiquista.

Todos estes riscos estão documentados no prospeto que acompanha a emissão obrigacionista.

Quanto dinheiro a Benfica SAD espera angariar com esta emissão obrigacionista?

A proposta inicial tem como meta a obtenção de até 40 milhões de euros que, deduzida de todos os encargos, segundo estimativas da Benfica SAD e assumindo a subscrição total das obrigações “Benfica SAD 2023-2026”, traduz-se num montante líquido de 38,5 milhões de euros.

No entanto, é possível que o montante da emissão seja revisto, desde logo por que as obrigações “Benfica SAD 2020-2023”, sobre a quais está também a decorrer uma oferta de troca pelas novas obrigações, tem atualmente um saldo-vivo de 50 milhões de euros.

Qual será o uso que a Benfica SAD dará ao dinheiro angariado?

No prospeto da operação, a Benfica SAD revela que pretende utilizar o dinheiro para reembolsar parcialmente o empréstimo obrigacionista denominado “Benfica SAD 2020-2023” e financiar a atividade corrente da Benfica SAD, bem como consolidar o passivo da empresa num prazo mais alargado.

Continue a ler esta notícia

Relacionados