«Precisamos de um avançado de início, mas também de bons jogadores no banco» - TVI

«Precisamos de um avançado de início, mas também de bons jogadores no banco»

Benfica-Desp. Chaves (MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

Roger Schmidt não abre o jogo quanto ao perfil da referência atacante do Benfica no dérbi decisivo da Taça de Portugal, depois de ter jogado com Rafa na frente no jogo da primeira mão em Alvalade

Relacionados

No jogo da primeira mão da Taça de Portugal com o Sporting em Alvalade, o Benfica entrou em campo sem uma referência ofensiva e com Rafa como homem mais adiantado dos encarnados.

As águias estiveram a perder por 2-0 e só depois da entrada de um ponta de lança conseguir chegar a um golo que deixa a eliminatória mais aberta para o jogo da 2.ª mão nesta terça-feira no Estádio da Luz.

Questionado sobre que tipo de avançado vai usar desta vez, Roger Schmidt reconheceu que precisa de um avançado, mas não abriu o jogo quanto às características. «Não vou anunciar os titulares e muito menos o avançado de que precisamos. Precisamos é de um desempenho globalmente muito completo. Temos muitas opções diferentes no ataque. Claro que precisamos sempre de velocidade no ataque, mas também precisamos de criatividade e de poderio físico. No fim de contas, precisamos de uma configuração que mostre que temos opções diferentes para atacar o último terço, ser perigosos e marcar golos. Todos os nossos avançados têm perfis diferentes, mas esperamos deles coisas idênticas a nível tático. (…) Precisamos de um avançado de início, mas tenho também de contar com as substituições. Dependendo da história do jogo, precisamos de jogadores muito bons também a sair do banco. Veremos quem começa, mas o mais importante é que precisamos de ter um rendimento top», realçou Roger Schmidt na conferência de imprensa de antevisão ao dérbi lisboeta.

Continue a ler esta notícia

Relacionados