Hoje nas notícias: Berardo, Medina e portagens ferroviárias - TVI

Hoje nas notícias: Berardo, Medina e portagens ferroviárias

  • ECO - Parceiro CNN Portugal
  • 26 out 2023, 08:12
Tribunal anula extinção da Fundação José Berardo.(Emmanuele Contini/ Getty Images)

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

O empresário José Berardo adquiriu as 214 obras que tinha comprado a meias com o Estado para o Museu Coleção Berardo. Fernando Medina foi o ministro que menos respondeu às perguntas escritas dos deputados durante a primeira sessão legislativa. O regulador dos transportes quer que as “portagens” da ferrovia desçam o dobro das portagens rodoviárias. Conheça estas e outras notícias em destaque na imprensa nacional.

Sociedade de Berardo fica com as 214 obras adquiridas a meias com o Estado

A Associação de Coleções, sociedade sediada no Funchal que integra o universo de entidades controladas por José Berardo, adquiriu todas as 214 obras de arte que tinham sido compradas para o Museu Coleção Berardo com verbas de um fundo de aquisição cofinanciado pelo empresário e pelo Estado português, revelou o Ministério da Cultura.

Leia a notícia completa no Público (acesso pago).

Medina só respondeu a metade das perguntas dos deputados

O ministro das Finanças foi o governante que menos respondeu às perguntas dos deputados durante a primeira sessão legislativa da atual legislatura. Das 97 perguntas escritas dirigidas a Fernando Medina, o ministro respondeu apenas a 53, o que se traduz numa taxa de resposta de 54,6%. Já os responsáveis pelas Infraestruturas, Justiça, Defesa e Assuntos Parlamentares responderam a todas as perguntas que os parlamentares fizeram.

Leia a notícia completa no Público (acesso pago).

AMT quer portagens ferroviárias a descer o dobro das rodoviárias

A Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) não concorda com o aumento de 23% da taxa de uso de infraestrutura ferroviária proposta pela Infraestruturas de Portugal (IP) para o próximo ano e quer que essa “portagem” venha a ter o dobro da redução que vai ser aplicada às portagens rodoviárias. Em declarações ao Jornal de Negócios, a presidente da AMT, Ana Paula Vitorino, diz que a proposta “não só não tem enquadramento legal como não permite uma beneficiação do transporte que mais apoia a descarbonização”.

Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago).

Greve dos trabalhadores do Estado sem consenso entre os sindicatos

Os trabalhadores da Função Pública vão estar em greve na sexta-feira para exigir que o Governo vá além daquilo que apresentou na proposta de Orçamento do Estado para 2024, mas só com os sindicatos afetos à CGTP vão integrar o protesto. O líder da Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap), José Abraão, justifica que “há razões para continuar a negociar” aumentos salariais em vez de se ir para a greve.

Leia a notícia completa no Diário de Notícias (acesso livre).

Exército sem pessoal para combater ratos e baratas

A falta de efetivos no Exército está a levar a interrupções nas desinfestações preventivas de pragas de insetos e ratos. Uma nota do diretor do Laboratório Militar, datada de 11 de outubro, dava conta da “interrupção das ações de sanitarismo (desbaratização e desratização)”, devido à rescisão de uma militar que trabalhava na Secção de Sanitarismo, dado que o “efetivo mínimo necessário para o efeito ser de três militares”.

Leia a notícia completa no Expresso (acesso livre).

Continue a ler esta notícia