"Hoje a Itália chora": aliados e rivais lembram Berlusconi (1936-2023) como personagem histórica e polémica - TVI

"Hoje a Itália chora": aliados e rivais lembram Berlusconi (1936-2023) como personagem histórica e polémica

  • Agência Lusa
  • ARC
  • 12 jun 2023, 11:45
Silvio Berlusconi (AP Photo/Andrew Medichini)

Silvio Berlusconi foi uma figura polémica, magnata dos ‘media’, conservador e de direita e primeiro-ministro de Itália durante nove anos

Relacionados

O antigo primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, que morreu esta segunda-feira aos 86 anos, foi lembrado pelos seus aliados e rivais como uma personagem histórica ou como um protagonista polémico da história política e social de Itália.

O líder do partido de extrema-direita Liga, Matteo Salvini, foi um dos primeiros a juntar-se às homenagens, considerando-se um herdeiro político de Berlusconi - que foi até agora o comandante do partido conservador Força Itália.

Salvini, atual vice-presidente do Governo da primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni, cancelou todos os seus eventos "até nova ordem" e ainda recordou Berlusconi como "um grande homem e um grande italiano".

A líder do Partido Democrático (PD - centro-esquerda), Elly Schlein, prestou “as mais profundas condolências” à família de Berlusconi, aos apoiantes, ao seu partido e aos integrantes da coligação governamental, da qual o Força Itália faz parte.

"Tudo nos separou e continua a separar-nos da sua visão política, mas permanece o respeito que se deve humanamente a alguém que foi protagonista da história de nosso país", declarou Elly Schlein numa nota.

O ex-primeiro-ministro social-democrata Matteo Renzi, autor em 2014 da polémica aliança entre a centro-esquerda e Berlusconi, considerou que o magnata italiano "construiu a história” de Itália.

"Muitos o amavam, muitos o odiavam. Mas todos hoje devem reconhecer que o seu impacto na vida política, económica, desportiva e televisiva foi sem precedentes. Hoje a Itália chora com a sua família, os seus entes queridos, as suas empresas e o seu partido", declarou Renzi.

O ex-primeiro-ministro italiano e ex-presidente da Comissão Europeia, Romano Prodi, prestou homenagem à influência de Silvio Berlusconi.

“Lembro-me dele como um líder político que, durante o seu longo e intenso período de compromisso público, exerceu uma grande influência na vida do nosso país, tendo impacto não só nas instituições, mas também na vida de todos os cidadãos”, declarou Prodi.

"Representámos mundos diferentes e opostos, mas a nossa rivalidade nunca se transformou em sentimentos de animosidade a nível pessoal e o debate permaneceu na esfera do respeito mútuo”, complementou o antigo primeiro-ministro.

Silvio Berlusconi foi uma figura polémica, magnata dos ‘media’, conservador e de direita e primeiro-ministro de Itália durante nove anos (1994-1995, 2001-2006, 2008-2011).

Foi alvo de acusações de corrupção e esteve no centro de escândalos sexuais que culminariam na sua expulsão do Senado italiano, em 2014.

Em 2022, o multimilionário regressou à ribalta política como senador e líder do partido que fundou, a Força Itália, membro da coligação de direita e extrema-direita atualmente no poder, liderada pela primeira-ministra Giorgia Meloni.

Continue a ler esta notícia

Relacionados