Boccia: Carla Oliveira foi mãe e regressa para sagrar-se campeã da Europa - TVI

Boccia: Carla Oliveira foi mãe e regressa para sagrar-se campeã da Europa

Carla Oliveira sagrou-se campeão europeia de Boccia

Portugal conquistou mais três medalhas nos Campeonatos Paralímpicos Europeus que estão a decorrer em Roterdão

Relacionados

Carla Oliveira sagrou-se esta sábado campeã da Europa de boccia, na classe BC4, num dia de competição nos Campeonatos Paralímpicos Europeus, em Roterdão, que rendeu mais duas medalhas a Portugal.

Carla Oliveira, que tinha parado de competir durante cerca de um ano por ter sido mãe, regressou agora da melhor maneira e bateu a húngara Alexandra Szabo na final, por 7-4, revalidando um título que já tinha conquistado em 2017.

A atleta do FC Porto, de 34 anos, voltará a jogar este domingo, na final de pares, ao lado de Nuno Guerreiro, na classe BC4, depois de um percurso invicto em individual.

«Ainda não acredito. Sei que é verdade, trabalhei no duro para isto, e agora é uma realidade. Regressar após ser mãe [em novembro de 2022] e já ter o título europeu e lugar nos Jogos Paralímpicos Paris2024 é fantástico», disse a atleta, em declarações reproduzidas pelo sítio oficial da prova.

Em BC2, Ana Correia ficou com a medalha de prata ao perder a final com a neerlandesa Chantal van Engelen, por 8-1, a última das três medalhas conseguidas este sábado no boccia dos Campeonatos a decorrer nos Países Baixos.

«É frustrante, vinha para ganhar e mostrar o meu melhor. Por outro lado, esta prata é uma grande motivação para o futuro. Sei no que tenho de trabalhar e o que tenho de melhorar», declarou a vice-campeã da Europa.

A abrir a competição, André Ramos alcançou o bronze em BC1, posição que também ocupou nos Mundiais de 2022, ao vencer o grego Panagiotis Soulanis por 4-3, numa luta pelo último lugar do pódio decidida na última bola a favor do luso.

De fora do pódio por pouco ficaram Cristina Gonçalves (BC2) e David Araújo (BC2), ambos no quarto lugar.

O boccia destina-se a atletas com deficiência motora (paralisia cerebral em cadeira de rodas, ou doenças neuromusculares), podendo ser disputado individualmente, em pares ou por equipas de três elementos, sem divisão por sexos.

Com esta tripla subida ao pódio na modalidade, a comitiva portuguesa chegou às cinco medalhas, somando a estas o ouro de Miguel Vieira, na categoria -60 kg (J1) no judo, em que Djibrilo Iafa foi bronze, em -73 kg (J1).

Portugal está representado nos Campeonatos Paralímpicos Europeus, competição que se realiza pela primeira vez, por 26 atletas, em seis modalidades: atletismo, badminton, boccia, ciclismo, judo e ténis em cadeira de rodas.

Continue a ler esta notícia

Relacionados