Biscoitos e bolachas podem ser saudáveis? - TVI

Biscoitos e bolachas podem ser saudáveis?

  • CNN Portugal
  • MJC
  • 9 abr 2023, 12:00
Bolachas (GettyImages)

Alguns investigadores defendem que se substituir parcialmente o açúcar e a gordura por nutrientes de qualidade, como sementes de chia ou quinoa, poderá obter-se uma receita com benefícios para saúde

Relacionados

As bolachas podem ser saudáveis? Os biscoitos e as bolachas são geralmente ricos em açúcar e gorduras saturadas e, portanto, não são habitualmente considerados alimentos saudáveis. Incluí-los com muita frequência na nossa dieta pode ser um fator de risco para o desenvolvimento de diabetes tipo II, obesidade e Alzheimer ao longo da vida. É por isso que, todos os nutricionistas concordam, devem ser consumidos apenas ocasionalmente.

Atualmente, mais de 1,6 mil milhões de pessoas com 15 anos ou mais, em todo o mundo, têm excesso de peso ou sofrem de obesidade, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde. Prevê-se que este número aumente para 2,3 mil milhões até 2050. Na União Europeia, cerca de 60% dos adultos e 20% das crianças em idade escolar têm excesso de peso.

O aumento da obesidade, o estilo de vida sedentário e a ingestão de alimentos não saudáveis ​​são os principais responsáveis ​​pelo aumento da incidência de doença hepática não alcoólica, que se caracteriza pela acumulação de gordura no fígado e que pode estar ou não associada à inflamação deste órgão. Esta doença que atinge entre 15% e 30% da população tem origem em desequilíbrios no consumo de nutrientes como aqueles que habitualmente encontramos nas bolachas. O problema é que consumir muitos açúcares e gorduras saturadas pode alterar o funcionamento do sistema imunitário, que por sua vez influencia a absorção, acumulação e utilização de gorduras no organismo.

No entanto, sublinham os investigadores José Moisés Laparra Llopis e Claudia Monika Haros num artigo publicado no jornal El Pais, é possível fazer biscoitos e bolachas com benefícios para a saúde, desde que se incluam determinados ingredientes, como grãos e sementes (por exemplo, quinoa e chia), que favorecem um aproveitamento mais saudável dos nutrientes pelo organismo.

A imunonutrição ou nutrição clínica consiste no aproveitamento do efeito benéfico dos nutrientes no tratamento de pacientes críticos (cirúrgicos, oncológicos, traumatizados ou com infeções), uma vez que esses nutrientes podem contribuir para modular processos imunitários, metabólicos e inflamatórios. Ou seja, em vez de encarar a alimentação apenas como o consumo de nutrientes necessários para o equilíbrio do organismo, a ideia é escolher os alimentos adequados às características particulares do consumidor e ao seu estado de saúde, usando as características específicas de cada nutriente para agir diretamente sobre algum problema do organismo.

Sabemos que alguns nutrientes podem ajudar a regular a absorção excessiva de gorduras e açúcares pelo organismo. Então, na receita dos biscoitos e das bolachas, os cientistas decidiram substituir parcialmente o açúcar, a farinha e a gordura por farinha de quinoa integral ou fibra de chia. De acordo com os investigadores, comer esses biscoitos especiais não só reverteu a tendência de aumento de peso dos voluntários, como também aumentou o seu metabolismo e, consequentemente, permitiu queimar mais gorduras e açúcares. Todos esses efeitos são produzidos por alterações específicas no sistema imunitário.

Além disso, a nova receita, com quinoa e chia, também respeita a microbiota intestinal e a sua ação no sistema digestivo. Isso é importante, pois vários microorganismos são responsáveis ​​pela eliminação das gorduras e açúcares que ingerimos. Mantê-los em boas condições ajuda a prevenir a obesidade.

Desta forma, os biscoitos e as bolachas até podem ser um alimento ideal em certas dietas, dizem os investigadores, sublinhando no entanto que não é fácil prever o efeito apenas com base no seu perfil nutricional e que os efeitos estão também dependentes do metabolismo de cada pessoa. Também não devemos esquecer que as bolachas e os biscoitos devem fazer parte de uma dieta variada, onde se incluem muitos outros alimentos.

Continue a ler esta notícia

Relacionados