Lucros do CaixaBank cresceram 53,9% no ano passado e superaram os 4.800 ME - TVI

Lucros do CaixaBank cresceram 53,9% no ano passado e superaram os 4.800 ME

  • Agência Lusa
  • AM
  • 2 fev, 08:01
CaixaBank (Reuters)

Grupo CaixaBank terminou 2023 com 20,1 milhões de clientes e uma rede de cerca de 4.200 balcões em Espanha e Portugal

O espanhol CaixaBank, dono em Portugal do BPI, teve lucros de 4.816 milhões de euros no ano passado, um aumento de 53,9% em relação a 2022, anunciou esta sexta-feira o banco.

Num comunicado, o CaixaBank afirmou que em 2023 teve "crescimentos significativos em todas as margens, num contexto de normalização das taxas de juros e com dinâmicas comerciais muito positivas".

Em concreto, o banco revelou que teve receitas recorrentes (derivadas da atividade bancária), de 15.137 milhões de euros, um aumento de 31,6% em relação a 2022.

A margem de juros (a diferença entre créditos concedidos e os juros pagos pelo banco) alcançou 19.113 milhões de euros e aumentou 54,3% no ano passado.

A margem bruta, que soma todas as receitas recorrentes, foi 14.231 milhões de euros, mais 28,3% do que em 2022.

Num ano com um contexto de aumento das taxas de juro, o CaixaBank aumentou em 2023 o crédito concedido a empresas e ao consumo, mas registou uma contração nos empréstimos para compra de habitação.

No global, a carteira de crédito do CaixaBank alcançava os 354.098 milhões de euros no final de 2023, menos 2% do que em 2022.

A morosidade (atrasos e incumprimentos no pagamento das prestações dos empréstimos pelos clientes) manteve-se nos 2,7%, o mesmo nível de 2022.

Quanto aos recursos dos clientes, alcançaram 630.330 milhões de euros no final de 2023, um aumento de 3,1% em relação ao ano anterior.

Os ativos geridos pelo CaixaBank aumentaram 8,7% em 2023, para os 160.827 milhões de euros, o que o banco atribuiu às subscrições de fundos e investimento, seguros de poupança e planos de pensões pelos clientes.

O grupo CaixaBank terminou 2023 com 20,1 milhões de clientes e uma rede de cerca de 4.200 balcões em Espanha e Portugal.

Continue a ler esta notícia