Moedas quer subir taxa turística em Lisboa para "aumentar a qualidade do turismo" - TVI

Moedas quer subir taxa turística em Lisboa para "aumentar a qualidade do turismo"

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa não adiantou valores, mas garantiu que medida não pretende afastar turistas

Carlos Moedas defende a subida da taxa turística na capital, o que diz ser sinónimo de “aumentar a qualidade do turismo”, traduzindo-se numa maior higiene e limpeza urbana. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa garantiu que a capital “não tem turismo a mais” e que a medida não é uma forma de afugentar o que diz ser um fator “essencial” para a mesma.

“Aumentar a taxa turística pode aumentar a qualidade do nosso turismo, segmentar mais. Seria bom para o turismo porque poderia ajudar, por exemplo, na limpeza da cidade”, afirmou Carlos Moedas, durante a CNN Summit dedicada ao setor turístico, que decorreu esta quarta-feira na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL).

O autarca rejeitou que a medida seja uma forma de afastar os turistas, garantindo que da sua parte as medidas para este setor terão “sempre uma grande defesa”. “A taxa turística não é nada de negativo, é positivo para um melhor turismo. Precisamos de ter mais limpeza na cidade e para ter mais limpeza são precisos mais recursos”, afirmou.

Carlos Moedas explicou que as freguesias sofrem com a falta de limpeza e que as receitas do turismo podem ajudar a colmatar as falhas. “Os hotéis estão mais preparados. As pessoas que vão para o Alojamento Local não sabem as regras”, distinguiu, ainda sob no ponto da limpeza urbana.

O turismo desempenha também um papel importante na qualidade de vida e no emprego. “Como autarca tenho gosto em andar na rua e o que as pessoas dizem é muito diferente do que se diz nos media. Muitos lisboetas dependem do turismo, muitas vidas dependem disso”, frisou, relembrando a pandemia, em que muitos “deixaram de ter emprego e de ter como pagar as mensalidades, a escola dos filhos”.

Em causa está o que o autarca diz ser um “sinal” para os lisboetas, já que a taxa turística no orçamento da Câmara é “marginal”, tendo representado cerca de 40 milhões em 2023. “Durante dois anos, lutei para que os cruzeiros pagassem uma taxa turística, é um sinal que foi dado e agora a população precisa desse sinal. Os lisboetas vão dizer ‘Viva os turistas, a cidade está limpa’”, acrescentou.

Carlos Moedas não adiantou, no entanto, valores. A taxa turística na capital encontra-se neste momento nos dois euros por noite, o que correspondeu a uma receita de quase 40 milhões de euros no ano passado, representando 28% da riqueza gerada na capital.

O presidente da Câmara de Lisboa rejeitou ainda a existência de demasiado turismo na capital. “Temos de ter mais e melhor turismo. Não há turismo a mais. Temos é de segmentar para ter turismo melhor e com mais qualidade”, considerou, saudando o registo de 30 milhões de dormidas “pela primeira vez na história de Lisboa” em 2023.

Na conversa com o jornalista Anselmo Crespo, houve ainda tempo para falar do novo aeroporto de Lisboa, uma porta de entrada para muitos turistas. “Eu não serei um obstáculo à decisão, mas tem de ser em Lisboa e com um Hub nacional. Santarém é muito longe de Lisboa”, disse.

Carlos Moedas deixou também recados ao próximo Executivo: “Se não decidirem terão todos os dias um presidente da Câmara à perna, seja qual for o Governo. Eu como presidente vou exigir uma decisão rápida”.

Continue a ler esta notícia