Pelos menos 21 mortos e 23 desaparecidos após acidente em mina no Cazaquistão - TVI

Pelos menos 21 mortos e 23 desaparecidos após acidente em mina no Cazaquistão

  • Agência Lusa
  • 28 out, 08:41
Protestos no Cazaquistão (AP)

É o segundo acidente fatal em dois meses num local do grupo ArcelorMittal, após a morte de cinco mineiros em meados de agosto

Pelo menos 21 mineiros morreram este sábado e 23 ainda estão a ser procurados, após um acidente numa mina no centro do Cazaquistão, segundo a empresa daquele país.

“Foram encontrados os corpos sem vida de 21 mineiros”, anunciou a ArcelorMittal, especificando que “23 trabalhadores ainda estavam no subsolo e 208 foram trazidos à superfície” da mina Kostenko, perto de Karaganda, no Cazaquistão.

Este é o segundo acidente fatal em dois meses num local do grupo ArcelorMittal, após a morte de cinco mineiros em meados de agosto, também em Karaganda, uma região industrial no centro do Cazaquistão.

Em resposta, o presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, ordenou hoje ao governo que “ponha fim à cooperação de investimento com a ArcelorMittal Temirtaou”, a subsidiária local da gigante siderúrgica.

O Ministro de Situações de Emergência, Syrym Sharipkhanov, deslocou-se entretanto a Karaganda.

O grupo ArcelorMittal, com sede no Luxemburgo mas detido por capitais indianos, tinha sido regularmente acusado pelo Cazaquistão de não cumprir as normas de segurança e de proteção do ambiente.

O Cazaquistão, uma antiga república soviética e a maior economia da Ásia Central, é rico em petróleo, gás, urânio, manganês, ferro, cromo e carvão.

Os acidentes com minas são bastante comuns nos países da antiga União Soviética, devido ao estado de degradação das instalações e como ao não cumprimento de normas de segurança.

Continue a ler esta notícia