CDS critica Governo por não defender polícias após transmissão de ‘cartoon’ - TVI

CDS critica Governo por não defender polícias após transmissão de ‘cartoon’

  • Agência Lusa
  • HCL
  • 9 jul 2023, 19:42
Nuno Melo (Lusa/Estela Silva)

“Este Governo precisa de um banho de ética”, sustentou Nuno Melo

O presidente do CDS-PP criticou o ministro da Administração Interna por não ter defendido a honra das forças policiais após a transmissão na RTP de um ‘cartoon’ animado alusivo à polícia e ao racismo.

Numa mensagem publicada na rede social Facebook, Nuno Melo defende que, “na televisão pública, polícias que representam o Estado foram difamados como racistas que descarregam as armas em função da cor da pele”.

No 'cartoon' de animação chamado "Carreira de Tiro", com cerca de 50 segundos de duração, vê-se um polícia de perfil a disparar uma arma com cada vez maior intensidade, verificando-se no fim que tinha à sua frente alvos de cores diferentes e que quanto mais escuros, mais buracos de bala apresentam.

O "boneco" visível no pequeno filme de animação enverga uma farda azul, um coldre, e são visíveis as letras "POL" escritas no peito da farda.

“Como é possível que o ministro da Administração Interna, que tutela as forças de segurança, não venha imediatamente a público defender a honra e o bom nome da PSP?”, questiona o presidente do CDS.

Nuno Melo pergunta ainda “como é que se aceita que o ministro da Cultura, com responsabilidades relativamente à RTP, não assuma responsabilidades, nem as exija de quem seja”.

“Este Governo precisa de um banho de ética”, sustentou.

No sábado, o PSD questionou o Conselho de Administração da RTP sobre o mesmo ‘cartoon’, considerando que “atenta de forma evidente e infeliz contra a imagem e o bom nome” das instituições policiais.

Também no sábado, o Sindicato Nacional da Carreira de Chefes (SNCC) da PSP anunciou que apresentou uma queixa-crime contra os autores do ‘cartoon’ e também contra a RTP por o ter emitido, considerando que “há, inequivocamente, uma intenção de vilipendiar todos os polícias, retratando-os como xenófobos e racistas”.

Contactado pela Lusa, o ilustrador André Carrilho, cofundador, juntamente com João Paulo Cotrim, do Spam Cartoon - responsável pelo 'cartoon' em questão -, considerou que a queixa “não faz sentido”, uma vez que o 'cartoon' "não tem nada a ver com a PSP nem com a realidade portuguesa".

“Nós trabalhamos para a RTP desde 2017 e o 'cartoon' é sempre feito num contexto de atualidade nacional e internacional, neste caso é internacional. Tem a ver com a ocorrência em França, da morte de um jovem francês às mãos da polícia que depois deu origem a vários tumultos pelo país inteiro”, explicou André Carrilho.

Por sua vez, fonte oficial da RTP disse à Lusa que “o Spam Cartoon é um exercício de opinião livre sobre a atualidade nacional e internacional que a RTP acolhe desde 2017”, sendo da autoria de “alguns dos mais reconhecidos cartoonistas portugueses”.

“Em nenhuma circunstância serviu para instigar à violência contra quem quer que seja. Os valores da liberdade de expressão e de opinião são basilares da democracia e do serviço público da RTP”, salientou o canal de televisão.

Continue a ler esta notícia