Tudo o que sabemos sobre o ataque no Centro Ismaili de Lisboa - TVI

Tudo o que sabemos sobre o ataque no Centro Ismaili de Lisboa

  • CNN Portugal
  • HCL
  • 28 mar 2023, 15:59
Ataque em centro ismaili em Lisboa. 28 março 2023. Foto: Patrícia de Melo Moreira/AFP via Getty Images

Tudo o que se sabe sobre o ataque com arma branca que fez durante a manhã dois mortos no Centro Ismaili de Lisboa

Às 10:57 minutos a Polícia de Segurança Pública foi alertada através do 112 para um ataque com uma arma branca no Centro Ismaili de Lisboa, localizado na Avenida Lusíada. Um minuto depois, uma primeira força policial chegou ao local e deparou-se com um homem, de nacionalidade afegã, armado com uma faca de grandes dimensões.

Os agentes ordenaram que o homem largasse a arma, momento em que o agressor avançou contra os polícias que, por sua vez, dispararam, neutralizando-o. Após abrirem fogo, os polícias registaram que havia duas vítimas mortais, ambas mulheres de nacionalidade portuguesa, e um ferido do sexo masculino, que está neste momento a ser assistido no Hospital de Santa Maria, em Lisboa. O caso foi entregue à Unidade de Contraterrorismo da PJ

Quem é o agressor?

Ao que a CNN Portugal conseguiu apurar, o suspeito é Abdul Bashir, tem 29 anos e teria problemas psicológicos. Estaria a frequentar uma aula de português no Centro Ismaili antes de levar a cabo o ataque. Após ter sido neutralizado pela polícia, o atacante foi socorrido e conduzido ao Hospital de São José, onde foi operado. ​

De acordo com informações dadas pelo ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, o suspeito foi recolocado em Portugal após ter pedido asilo em dezembro de 2021, ao abrigo da cooperação europeia. Era beneficiário de estatuto de proteção. Não estava anteriormente referenciado pelas autoridades portuguesas. 

Segundo a Associação da Comunidade Afegã em Portugal, o agressor teria três filhos menores e contactou a associação por estar preocupado por não ter onde os deixar no caso de arranjar trabalho. Teria também perdido a mulher na Grécia. Esta associação vai ser responsável pelo acolhimento dos filhos menores do atacante, de 9,7 e 4 anos.

Quem são as vítimas?

As vítimas mortais do ataque desta terça-feira são, segundo apurou a CNN Portugal, a professora de inglês do atacante e uma trabalhadora no Centro Ismaili. Uma das vítimas teria 24 anos e a outra 49, sendo esta última sobrinha do representante diplomático do Imamat Ismaili em Portugal e também antiga representante da comunidade ismaelita em Madrid.

O que esteve na origem do ataque?

O ataque terá sido motivado por razões pessoais que, neste momento, ainda estarão a ser esclarecidas pelas testemunhas que estão a ser ouvidas pela Polícia Judiciária. Apesar da investigação ainda estar a decorrer, o ministro da Administração Interna afirmou que "tudo leva a crer tratar-se de um ato isolado", informação semelhante foi transmitida minutos após o ataque pelo primeiro-ministro, admitindo, contudo, que ainda é premeditado retirar quaisquer conclusões.

Também a Comunidade Muçulmana Ismaili diz que “não são conhecidas as motivações" do ataque que ocorreu enquanto "decorriam aulas e outras atividades que ali têm lugar normalmente”.

Onde decorreu o ataque?

No Centro Ismaili de Lisboa, que foi inaugurado em 1998 para servir como centro de reunião da comunidade ismailita, um sub-ramo xiita. É lá que se realizam cerimónias religiosas, mas onde também funciona um centro cultural e comunitário, que promove regularmente exposições, concertos, conferências e outros eventos culturais.  

Quem são os ismaelitas?

Os muçulmanos xiitas ismaelitas vivem em mais de 25 países em todo mundo, unidos pela lealdade ao príncipe Karim Aga Khan (Mawlana Hazar Imam para os ismaelitas) Há estimativas que existam 12 a 15  milhões de crentes em todo o mundo, que representam um ramo minoritário e mais liberal do xiismo.

Como muçulmanos, os ismaelitas acreditam num único deus e no profeta Maomé como mensageiro divino. Distingue-os, sobretudo, o facto de serem a única comunidade muçulmana liderada por um imã “vivo, presente, manifesto e com descendência direta do profeta Mohamed (Maomé)” – o príncipe Karim Aga Khan IV - “Sua Alteza”, para os crentes. 

Continue a ler esta notícia