Esta cerveja é feita com água reciclada de chuveiros, lavatórios e máquinas de lavar roupa - TVI

Esta cerveja é feita com água reciclada de chuveiros, lavatórios e máquinas de lavar roupa

  • CNN
  • Jacopo Prisco
  • 1 ago 2023, 15:39
Cerveja feita com água reutilizada (Epic Cleantec)

"O que eu costumo lembrar às pessoas é que toda a água do planeta é reciclada. A água que estamos a beber hoje é a mesma água que foi consumida pelos dinossauros há milhões de anos"

Não saberia se a provasse mas a Epic OneWater Brew é uma cerveja com um ingrediente peculiar: é feita com água reciclada dos chuveiros, lavatórios e máquinas de lavar roupa de um edifício residencial.

A cerveja é segura para beber graças a uma série de tratamentos que incluem microfiltração e luz ultravioleta, e tem como objetivo chamar a atenção para a questão da escassez e reutilização da água.

"Os edifícios utilizam globalmente 14% de toda a água potável", afirma Aaron Tartakovsky, diretor executivo e cofundador da Epic Cleantec, a empresa de tratamento de água sediada em São Francisco, nos EUA, que produziu a cerveja em colaboração com uma cervejeira local. "Quase nenhum edifício reutiliza essa água - é isso que estamos a tentar mudar."

A cerveja é do estilo Kölsch - uma bebida crocante e de corpo leve originária da Alemanha - e foi feita com água cinzenta reciclada do Fifteen Fifty, um edifício de apartamentos de luxo de 40 andares em São Francisco. Mas não está à venda, uma vez que os regulamentos proíbem a utilização de águas residuais recicladas em bebidas comerciais. Pelo menos por enquanto.

Um momento "solar"

A Epic Cleantec equipa os edifícios com o seu sistema de reciclagem de água, eliminando a necessidade de descarregar as águas residuais num esgoto para as transportar para uma instalação de tratamento à distância. O sistema recicla até 95% das águas residuais, segundo a empresa - quer as chamadas águas negras, provenientes das sanitas, quer as águas cinzentas, provenientes de lavatórios, máquinas de lavar roupa, banheiras e chuveiros.

Para tal, recorre primeiro ao tratamento biológico para remover a matéria orgânica, depois à microfiltração através de membranas com apenas 0,04 mícrones de espessura (cerca de 0,05% da espessura de um cabelo humano) e, por fim, à desinfeção por luz ultravioleta e cloro, o que torna a água segura para reutilização em aplicações não potáveis, como descargas de sanitas e urinóis, irrigação e lavandaria. O sistema instalado no Fifteen Fifty foi concebido para reciclar 7.500 galões de água por dia, ou seja, até 2,75 milhões de galões por ano.

"O que fizemos foi pegar em muitos dos princípios existentes no mundo das águas residuais e concebê-los para edifícios individuais", diz Tartakovsky. "Fazemos para a água o que a energia solar fez para a energia, que está a afastar-se de uma dependência exclusiva de uma infraestrutura grande e centralizada."

A Epic Cleantec diz que o sistema tem outros benefícios: o calor recuperado das águas residuais pode ser usado para pré-aquecer a água quente doméstica, reduzindo os custos de aquecimento, e a matéria orgânica nas águas residuais pode ser usada para produzir produtos naturais do solo, utilizáveis em paisagismo, jardins ou parques.

O Fifteen Fifty, um edifício de apartamentos de luxo de 40 andares em São Francisco

Uma instalação ocupa, em média, o espaço de alguns lugares de estacionamento, mas é dispendiosa - de algumas centenas de milhares de euros a milhões, dependendo da dimensão do edifício. No entanto, Tartakovsky diz que a instalação se paga a si própria em apenas alguns anos, através da redução das faturas de serviços públicos.

Em São Francisco, desde 2015 que todos os novos edifícios com mais de 100.000 pés quadrados são obrigados a ter um sistema de reciclagem de água no local; das poucas dezenas atualmente instaladas, a Epic Cleantec é responsável por cinco.

"É uma questão de senso comum. Por que razão continuamos a utilizar água potável dos nossos parques nacionais para descarregar as sanitas dos nossos funcionários tecnológicos na baixa de São Francisco?" pergunta Tartakovsky. "Cientificamente, esta água cumpre ou excede frequentemente as normas relativas à água potável".

Reduzir a utilização de água

A Epic Cleantec iniciou o seu projeto de cerveja no final de 2022 para os participantes de uma conferência sobre tecnologias de construção sustentável. "Acabámos a produzir pouco mais de 7.000 latas, não como um produto comercial, mas como um esforço educacional", afirma Tartakovsky, usando 2.000 galões de água reciclada. "O objetivo era contar a história da reutilização da água de uma nova forma. Mas, francamente, não prevíamos a enorme reação que tivemos."

Embora o sistema da Epic Cleantec não se destine a produzir água para consumo, os regulamentos permitem atualmente a reutilização potável de águas residuais em muitos estados dos EUA, incluindo a Califórnia e o Texas. Outros estados, incluindo Arizona, Colorado, Florida, Novo México e Washington, estão a atualizar os seus regulamentos de reutilização de água.

"A água reciclada já está a ser utilizada como fonte de água potável em locais como o Sul da Califórnia, Singapura e Austrália", afirma David Sedlak, diretor do Berkeley Water Center da Universidade da Califórnia, em Berkeley. "Todas estas operações dependem de instalações de reciclagem associadas a estações de tratamento de águas residuais. Os sistemas de reciclagem de água à escala do edifício oferecem uma oportunidade para as cidades reduzirem a sua dependência da água dos rios, lagos e reservatórios - fontes que são vulneráveis às alterações climáticas. Também oferecem oportunidades para poupar energia e reduzir a quantidade de poluentes que as cidades libertam para o ambiente."

Sedlak, que não está envolvido na Epic Cleantec, diz que o sistema de reciclagem de água desenvolvido pela empresa provou que a sua tecnologia é um meio viável de reciclagem de água nos edifícios. "É suficientemente limpa para ser utilizada na produção de uma cerveja saborosa e é certamente suficientemente limpa para ser utilizada na descarga de sanitas e na irrigação paisagística", acrescenta.

Em 2017, dois fabricantes de cerveja sediados na Califórnia produziram cervejas de edição limitada feitas com água reciclada para servir em eventos locais. Daniel McCurry, professor assistente de Engenharia Civil e Ambiental na Universidade do Sul da Califórnia, experimentou uma delas. "Bebi-a sem reservas mas foi produzida com água de um projeto municipal de reutilização de água potável em San Diego."

Daniel McCurry explica que os sistemas municipais de reutilização potável incluem normalmente mais dois passos do que os da Epic Cleantec - os processos de osmose inversa e UV/oxidação avançada - que, segundo McCurry, podem remover contaminantes químicos, como solventes industriais e produtos farmacêuticos, "numa extensão muito maior do que por ultrafiltração, UV e cloro".

Para poder vender cerveja ou outras bebidas feitas com essa água seria necessário outro passo regulamentar, mas não está fora de questão, de acordo com Tartakovsky. "Quando entrei na indústria da água, dizia-se frequentemente que o público em geral não estava preparado para a água reciclada. Na indústria, chamamos-lhe o fator 'nojento'. Há uma perceção mental de que a água reciclada não é tão limpa como outras fontes de água. Mas o que eu costumo lembrar às pessoas é que toda a água do planeta é reciclada. A água que estamos a beber hoje é a mesma água que foi consumida pelos dinossauros há milhões de anos."

Tartakovsky acrescenta que, apesar de não ser o seu foco, a Epic Cleantec está agora a ter conversas com alguns dos maiores fabricantes de cerveja do mundo. "Temos muitas pessoas que estão a pedir mais porque, além de ser uma história ambiental interessante, a cerveja tem um sabor muito bom."

"Vai começar a ouvir-se falar muito mais de diferentes indústrias que utilizam água reciclada nos seus produtos. Penso que o céu é o limite para o que podemos fazer."

Continue a ler esta notícia