Ex-primeiro-ministro chinês Li Keqiang morre de ataque cardíaco - TVI

Ex-primeiro-ministro chinês Li Keqiang morre de ataque cardíaco

  • Agência Lusa
  • PF
  • 27 out, 08:01
Primeiro-ministro chinês Li Keqiang fala durante uma conferência de imprensa após o final da sessão de encerramento da Assembleia Popular Nacional da China

Economista de formação, conhecedor da língua inglesa e pertencente à ala mais liberal do Governo, Li era um fervoroso defensor das reformas económicas, embora os planos que tinha neste domínio tenham sido prejudicados pela crescente autoridade de Xi Jinping

O ex-primeiro-ministro chinês Li Keqiang morreu esta sexta-feira, aos 68 anos, de ataque cardíaco, avançaram 'media' estatais.

Li, que ocupou o cargo de primeiro-ministro entre 2012 e março deste ano, sofreu um ataque cardíaco na quinta-feira e, "apesar de todos os esforços para o salvar, morreu às 00:10 de 27 de outubro (17:10 de quinta-feira em Lisboa)", informou a emissora CCTV.

Ainda não foram divulgados quaisquer detalhes sobre o funeral e o enterro do político.

A 11 de março, Li Keqiang foi substituído na sessão plenária anual da Assembleia Popular Nacional (APN, legislativo) por Li Qiang, por proposta do Presidente, Xi Jinping, que acabava de ser eleito para um terceiro mandato, pondo de parte uma tradição segundo a qual os seus antecessores se demitiam ao fim de 10 anos.

Economista de formação, conhecedor da língua inglesa e pertencente à ala mais liberal do Governo, Li era um fervoroso defensor das reformas económicas, embora os planos que tinha neste domínio tenham sido prejudicados pela crescente autoridade de Xi Jinping.

O seu mandado ficou marcado por uma mudança dramática no poder na China, de um regime consensual, associado ao antigo Presidente Hu Jintao e aos seus antecessores, para a omnipotência de Xi.

Os anos em que esteve no poder sofreram ainda duras convulsões, com uma guerra comercial com os Estados Unidos, uma dívida crescente e a pandemia da covid-19, que manteve o país fechado durante quase três anos, com um enorme impacto na segunda maior economia do mundo.

Nascido em 1955 na província oriental de Anhui, Li aderiu ao Partido Comunista da China (PCC) em 1976 e subiu na hierarquia da juventude comunista até se tornar o governador mais jovem da China em 1998, liderando a província central de Henan.

Depois de ter sido chefe do PCC nas províncias de Henan e Liaoning (nordeste), Li tornou-se membro do Comité Permanente do Partido em 2007 e foi promovido, apenas um ano mais tarde, a vice-primeiro-ministro pelo então número dois chinês Wen Jiabao.

O 18º Congresso do Partido Comunista da China aprovou um novo Comité Central, em novembro de 2012, que incluía Li Keqiang, que quatro meses depois foi nomeado pela APN como primeiro-ministro, substituindo Wen.

Continue a ler esta notícia

EM DESTAQUE