A China e a Rússia terminaram os exercícios militares navais, iniciados há uma semana, nas águas a leste da China, noticiou esta quarta-feira a agência oficial chinesa Xinhua.

Os exercícios, apelidados de "Interação Naval", têm sido realizados anualmente desde 2012.

As manobras foram realizadas em "más condições do mar", disse a Xinhua, acrescentando que as duas marinhas completaram várias operações, incluindo "bloqueio e controlo", "salvamento", "defesa aérea" e "antissubmarino".

Do lado chinês participaram o contratorpedeiro 'Baotou', as fragatas de mísseis 'Binzhou' e 'Yancheng', submarinos e sistemas de radar aéreos, e do lado russo, o contratorpedeiro 'Almirante Shaposhnikov', bem como outros navios e embarcações de abastecimento.

Os exercícios navais decorreram ao largo das cidades costeiras de Zhoushan e Taizhou, na província oriental de Zhejiang, a cerca de 500 quilómetros da costa norte da ilha de Taiwan.

Desde o início do conflito na Ucrânia, em fevereiro, a China tem pedido respeito pela "integridade territorial de todos os países", incluindo a Ucrânia, e atenção às "preocupações legítimas de todos os países", numa referência à Rússia.

/ AM