Há dez bolsas de 2.000€ para quem quiser estudar cibersegurança - TVI

Há dez bolsas de 2.000€ para quem quiser estudar cibersegurança

  • ECO - Parceiro CNN Portugal
  • Isabel Patrício
  • 5 set 2023, 21:30
Cibersegurança (getty images)

Os estudantes da área da cibersegurança têm à disposição uma nova ajuda

Ainda que, à medida que a transição digital avança, a cibersegurança venha conquistando cada vez mais relevo, o talento escasseia nessa área. A empresa de segurança de informação VisionWare decidiu, por isso, lançar um programa de bolsas de estudo. Ao ECO, a tecnológica portuguesa adiantou, em primeira mão, que as candidaturas para a segunda edição acabam de abrir, estando em causa dez bolsas de estudo com o montante de dois mil euros.

“Para este ano, o nosso objetivo será ultrapassar as 100 candidaturas, registar um acréscimo de, pelo menos, 10% das candidatas do género feminino e abranger outras áreas de ensino ao abrigo da concessão destas bolsas, nomeadamente o cibercrime e proteção de dados, a informação forenses e a cibersegurança e defesa”, explica Bruno Castro, fundador e CEO da VisionWare. No total, serão apoiados dez jovens.

Importa explicar que este programa de bolsas foi lançado, originalmente, em 2022 com o objetivo de apostar no talento nacional e internacional nas áreas da segurança de informação e cibersegurança para “contornar a escassez de talentos sentido na área“. De acordo com o referido responsável, na primeira edição, foram recebidas perto de 100 candidaturas, sendo que, do total de bolseiros, a maioria tinha entre 18 e 22 anos.

Já quanto a esta edição, cujas candidaturas estão agora abertas, há que ter em conta aos seguintes requisitos: os candidatos têm de ter até 25 anos e nacionalidade portuguesa ou cabo-verdiana, com residência em Portugal ou em Cabo Verde, e têm de frequentar o ensino superior ou técnico-profissional num desses dois países, no grau de licenciatura, mestrado ou mestrado integrado.

Mas, atenção, as bolsas só serão atribuídas a quem esteja a estudar em certas áreas: Tecnologias de Informação e Comunicação, em áreas relacionadas com Telecomunicações, Engenharia Informática e Computação, Redes, Electrónica e computadores, Sistemas de Informação e similares/STEM; Segurança informática e de dados; Segurança Cibernética e cibersegurança; Informática Forense; Cibercrime; Cibersegurança e proteção de dados; Análise/Investigação Forense; Cibersegurança e Defesa; Análise Cibernética e similares; Direito da Cibersegurança e do Ciberespaço e relacionados.

“Ao analisar as candidaturas recebidas, serão ainda tidos em consideração outros critérios adicionais, tais como a reputação da instituição de ensino em que o estudante se encontra matriculado (através de rankings nacionais e internacionais), a área de estudo, os resultados académicos, a experiência profissional, o envolvimento em experiências sociais (como voluntariado e filantropia) e o envolvimento em iniciativas relacionadas com empreendedorismo ou associações académicas“, detalha o CEO.

Os candidatos que forem aprovados receberão uma bolsa para o período de um ano letivo completo, no valor total de dois mil euros.

“Face ao sucesso e impacto tão positivo gerados por esta ação em 2022, acreditamos que o apoio e incentivo atribuído aos alunos irá traduzir-se numa aposta sólida e segura para o futuro desta área, enaltecendo assim o talento de vários jovens que procuram uma oportunidade de melhores condições de acesso ao ensino superior/técnico-profissional, e aspiram a uma carreira neste mundo desafiante da cibersegurança”, remata Bruno Castro.

Continue a ler esta notícia