Os combustíveis vão descer na próxima semana. O litro de gasóleo, o combustível mais usado em Portugal, deverá descer 2,5 cêntimos e o de gasolina um cêntimo, avançou ao ECO fonte do mercado. Por isso, se puder, ateste o depósito durante o fim de semana.

A partir de segunda-feira, quando for abastecer, deverá pagar 1,513 euros por litro de gasóleo simples e 1,663 euros por litro de gasolina simples 95, tendo em conta os valores médios praticados nas bombas à segunda-feira, divulgados pela Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG).

No entanto, os preços cobrados ao consumidor final podem variar consoante o posto de abastecimento. E ainda podem sofrer ajustamentos para ter em conta o fecho das cotações do petróleo brent esta sexta-feira e o comportamento do mercado cambial. Mas também porque os preços finais resultam da média dos valores praticados por todas as gasolineiras.

Estes preços já têm em conta os descontos aplicados pelas gasolineiras e a revisão das medidas fiscais temporárias para ajudar a mitigar o aumento do preço dos combustíveis, que são atualizadas no início de cada mês. Em fevereiro, o efeito de mecanismo de compensação aplicado ditou uma manutenção do desconto no ISP do gasóleo e um aumento de 2,3 cêntimos por litro no desconto do ISP no caso da gasolina, face a janeiro.

Os preços invertem assim a tendência de subida verificada esta semana. Tanto o gasóleo como a gasolina subiu esta semana 0,5 cêntimos, uma subida inferior ao antecipados pelo mercado que apontavam para uma subida de 1,5 cêntimos no diesel e um cêntimo na gasolina.

Esta sexta-feira, os preços do brent, que serve de referência para o mercado europeu, estão a subir 0,89%, para os 82,94 dólares por barril, ou seja é o segundo dia consecutivo de subidas, devido às expectativas de uma quebra nas exportações russas que acabam por compensar o aumento das reservas nos Estados Unidos. Em termos semanais os preços estão em grande medida estáveis, após as quedas semanais que rondaram os 4%, porque há preocupações de que o aumento das taxas de juro nos Estados Unidos possam resultar numa apreciação do dólar e consequentemente prejudicar a procura por combustíveis.

Evolução do preço do Brent em Londres

ECO - Parceiro CNN Portugal / Mónica Silvares