A CP suprimiu esta terça-feira, entre as 00:00 e as 14:00, 514 comboios de um total de 692 programados em mais um dia de greve de vários sindicatos da transportadora, segundo dados enviados à Lusa.

Neste período, a CP realizou 178 comboios, cumprindo os serviços mínimos definidos, o que corresponde a um nível de supressão de 74,3%.

No serviço de longo curso, a CP suprimiu 29 composições de 39 previstas e no regional não se realizaram 138 comboios de 185 estimados.

Nos urbanos de Lisboa, foram suprimidos 244 comboios em 328 previstos e no Porto não circularam 103 comboios dos 139 previstos.

"Fortes perturbações" apesar de serviços mínimos

Os trabalhadores da CP deram início na segunda-feira a mais greves, com a transportadora a alertar para "fortes perturbações" até quinta-feira, num protesto pelo impasse nas negociações salariais que também envolve a Infraestruturas de Portugal (IP).

A CP já tinha alertado na sexta-feira para "fortes perturbações" na circulação dos comboios entre as 00:00 de segunda-feira e as 23:59 de quinta-feira, devido a greve, havendo serviços mínimos decretados para os quatro dias (25%).

A greve foi convocada pelo SINFA, Associação Sindical das Chefias Intermédias de Exploração Ferroviária (ASCEF), Sindicato Independente Nacional dos Ferroviários (SINFB), Sindicato Independente dos Operacionais Ferroviários e Afins (SIOFA), Associação Sindical Independente dos Ferroviários de Carreira Comercial (ASSIFECO), Federação Nacional dos Transportes, Comunicações e Obras Públicas (FENTCOP), Serviços Técnicos Ferroviários (STF), STMEFE - Sindicato dos Trabalhadores do Metro e Ferroviários (STMEFE), Sinafe - Sindicato Nacional dos Ferroviários do Movimento e Afins, Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTF) e Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (Sintap).

/ CF